Blogagem coletiva: o dia que a Luiza parou o metro de Londres

Confesso que os meus perrengues de viagem sem família são meio básicos: vômito no carro, vômito no avião, no estacionamento, no hotel… voo atrasado, hotel com overbooking. Nada que rendesse uma boa história.

Desde que a Claudia e a Suti-Mie propuseram este tema no grupo Viagens em Família fiquei pensando. Decidi que talvez fosse a hora de contar uma história que MORRRRRROOO de vergonha (por isto não contei antes). Preferia não contar, mas se for útil para alguém, já vai ter valido a pena. Claro que pode render algumas risadas também.

Ano passado estávamos em Londres, pegamos o metro de manhã, na hora do rush. A linha era a Victoria Line, uma das mais (senão A mais) movimentadas da cidade. O metrô estava atrasado e as pessoas estavam irritadas, ligando para seus trabalhos dizendo que chegariam tarde para a reunião. Nós, de férias, esperamos pacientemente. Finalmente o trem chegou, entramos e ele partiu.

Menos de 10 segundos depois, o metrô parou novamente.

Mais bufadas e mais gemidos.

Então olho para o Nuno, que está com a Luiza no colo, e ele está me olhando com uma cara meio apavorada. Discretamente ele sussura para mim:

– Foi a Luiza.

– O que? Eu respondi, meio sem entender

– Foi a Luiza, ela puxou a trava de segurança.

Pânico. Como assim? E agora? Ele estava parado próximo a porta com ela no colo. Exatamente na altura da mão dela vejo a trava abaixada.

Nisto uma VOZ do além pergunta:

– O que está acontecendo? Qual o problema? (em inglês, é claro)

ÓBVIO que a vontade era nos fazermos de mortos, ficar quietos. Mas não existia esta possibilidade. A questão da segurança em Londres, principalmente no metrô, é seríssima! A trava que ela puxou não emite um aviso, ela realmente PARA o metrô. Eles precisavam realmente saber o que estava acontecendo, saber se era grave ou não.

O Nuno teve que respodenr para a VOZ: “I am sorry, it was a mistake, it was my daughter”, ou algo do gênero.

Senti os olhares das pessoas utra busy e mega atrasadas nos fuzilando. Algumas bufaram novamente, desta vez com certo desprezo.

Eu falei para o Pedro: “Nem respire”. Ele só falou: “Ainda bem que não fui eu”.

A VOZ fez mais algumas perguntas. O metro continuava parado (calculem que a esta altura todo o sistema de metrôs estava parado pois ele é sincronizado. Então surgiram policiais na plataforma que vieram se certificar de que realmente não estava acontecendo nada grave. Eles entraram, verificaram a trava de segurança, nem olharam para nós e saíram.

Ainda demorou mais alguns minutos para o metro voltar a andar.

CLARO que nós saímos na estação seguinte.

Agora uma foto da Luiza para ninguém ficar com uma impressão horrível sobre ela.

Metro Londres

Desculpe metrô de Londres. Não vai acontecer de novo!

Para ver os outros perrengues que o povo anda passando por aí:

1. Claudia Pegoraro, Felipe, o pequeno viajante:

2. Karen Schubert Reimer, As Aventuras da Ellerim Viajante

3. Cinthia Rangel, Boa Viagem

4. Adriana Pasello, Diário de Viagem 

5. Francine Agnoletto, Viagens que Sonhamos

http://viagensquesonhamos.blogspot.com.br/2013/08/perrengues-em-familia-o-retorno.html

6. Eder Rezende, Quatro Cantos do Mundo: 

7. Erica Kovacs, Viagem com Gêmeos

8. Debora Godoy Segnini, Gosto e Pronto

9. Ludmyla De Sena Broniszewski, Two Many Sides of Me: http://twomanysidesofme.wordpress.com/2013/08/08/perrengues-de-viagem-perrengue-numero-3-blogagem-coletiva-viagens-em-familia/ (este é o perrengue 3! Tem o 1 e o 2!!)

10. Renata Schiffer, A Renata teve infância e sabe ser feliz!

11. Andréia Mannarino, Mistura nada básica 

12. Andréa Barros, Do RS para o Mundo

13. Andrea Martins, do Malas e Panelas

14.Aryele Herrera, Casa da Atzin

15. Flávia Maciel, Bebê pelo Mundo: 

16. Renato Martins, do Renato Blogging 

17. Sut-Mie Guibert, Viajando com Pimpolhos

18. Andreza Trivillin, Andreza Dica e Indica Disney 

19. Debora Galizia, Viajando em Família

20. Thiago Cesar Busarello, Vida de Turista

21. Ana Cinthia Cassab Heilborn, Travel Book 

22. Ingrid Patrícia Cruz, Viagens em Família

23. Michely Lares, Viagens da Família Lares 

24. Karla Alves Leal, Cariocando por aí

25.Marcia Tanikawa, Os Caminhantes Ogrotur

26. Mônica Paranhos, Viagens em Família

27. Patricia Papp, Coisas de Mãe

28. Cynara Vianna, Cantinho de Ná

29. Cristiane Martins, Dias Viajando por aí 

30. Guilherme Canever, Saiporaí

31. Paloma Varón, Viagens em Família

32. Vera Leitão, Mundo anfitrião

33. Miriam Vargas Nunes Neto, Clube de Viagens Mom

34. Flávia Peixoto Viajar é tudo de bom

35. Daniella Sousa Reis, André e Dani + Pedro

36. Ligia Cantarelli, Sem vígula antes de etc.

37. Luciana Bordallo Misura, Colagem

38. Kelly Resende, Bebê Piccolo

Patricia Papp é mãe do Pedro (13 anos) e da Luiza (8 anos) e ama viajar em família. É autora do livro "Como Viajar com Seus Filhos Sem Enloquecer" e "Praias do Nordeste com Crianças".

Ver meus outros posts

20 comentários

  1. ResponderJuliana Vasquez

    rsrs a minha filha fez uma no laboratório de exames, ela apertou a campainha que chama os pacientes para tirar sangue, quando perceberam que era ela, pq nem eu percebi, levamos uma fuzilada com o olhar. rsrs

  2. Respondercasadaatzin

    Rsrsrs!! O melhor foi a fotinho da Luíza para ninguém ficar com má impressão dela! Rs Que fofa!
    Sabe que eu sempre fico meio tensa e de olho para os meus não fazerem algo parecido, aí, terrorista que sou já vou colocando medo nos piazinhos, rs!
    Bjus!
    Aryele

  3. Pingback (citações em outros sites/blogs): Blogagem Coletiva: Perrengues que Passamos Viajando em Família – Frustração em Veneza! | Ellerim Viajante

  4. ResponderClaudia

    kkkkkk o Felipe já tentou aplicar esse golpe váaaaaarias vezes! Ele simplesmente tem fixação por aqueles martelinhos de quebrar o vidro em caso de incêndio e por campainhas em elevadores, sabe? Fazer o quê? Deve ter sido bombeiro em outras vidas!
    Bjokas, Claudia@pequenoviajante

  5. ResponderCinthia Rangel

    Muito boa essa! A Laura nunca parou um metro! Ainda! Pq ela seria bem capaz! Mas tocar a campainha da emergência dos elevadores aconteçe direto! E a gente tem que atender e pedir zilhoes de desculpas. E a gente nao aprende: pq ela faz isso desde um ano e três meses. Digo que e pq nao tem costumo com elevadores. Afinal, e interiorana! Agora, a sua filha e linda, e tem uma carrinha de sapeca!
    Cinthia Rangel.

  6. Pingback (citações em outros sites/blogs): Cantinho de Ná » Perrengues e viagens – quem nunca passou por um?

  7. Pingback (citações em outros sites/blogs): Blogagem coletiva sobre perrengues: a história da vitamina de aveia | Viagem com Gêmeos

  8. Pingback (citações em outros sites/blogs): Perrengues de viagem | Os caminhantes

  9. Pingback (citações em outros sites/blogs): Em uma viagem, nem tudo são flores! Post sobre meus maiores perrengues. | Clube de Viagens Moms

  10. Pingback (citações em outros sites/blogs): Viagens em Família - que saudade do carrinho » Malas e Panelas

  11. Pingback (citações em outros sites/blogs): Os perrengues de viagem da nossa família – blogagem coletiva

  12. ResponderFrance

    Bom dia Patricia,

    Acompanho teu blog e gosto muito! Tenho uma filhinha de 1 ano que por ainda nao ter dentes so come papinhas. Estou pensando em ir para Foz em outubro 2013, por uma semana, mas uma semana de papinha da nestle niguem merece! O que vc deu para sua filha no periodo que foi com ela? Obrigada pelo retorno.

    Beijo

    1. Responderpatipapp

      Oi France, tudo bem? Obrigada pelos elogios!

      Eu sempre levo umas papinhas para emergência, mas tento diversificar dando outras comidinhas que encontro. Não lembro bem como foi a limentçnao dela em Foz, mas geralmente eu tento dar uma sopinha no hotel (geralmente tem sopas no cardápio ou no buffet) ou alguma comidinha bem esmagadinha como pure de batatasm arrozinho com caldinho de feijão (esmagadinho no garfo mesmo), suuinhos. Lembro que quando visitei as Cataratas do lado argentino comi em uma churrascaria do parque, que tinha buffet livre.

      Fui com ela para Tailândia 2 meses depois desta viagem para Foz e levei muitas papinhas Nestle, quase todas voltaram porque consegui dar comidas frescas ao longo da viagem!

      Espero que minha experiência tenha ajudado!

      bj

      1. ResponderFrance

        Oi Patricia,
        Obrigada pelo retorno! Excelentes dicas, irao me ajudar em Foz. Tua experiencia nos ajuda e muito alem de nos proporcionar excelentes informaçoes para proximos destinos. Muito obrigada!

        Bjs

  13. Pingback (citações em outros sites/blogs): Blogagem coletiva: nossos perrengues de viagem em família! – E-Kids Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *