Guimarães: a jóia portuguesa

Guimarães: a jóia portuguesa

No final de semana passado queríamos ter ido esquiar, mas entre uma coisa e outra…acabamos em Guimarães! Desde que chegamos em Portugal queríamos ter ido à Guimarães e só agora conseguimos…se soubéssemos a joia que nos esperava, talvez tivéssemos ido antes. Linda limpa, com pessoas amáveis e uma culinária deliciosa!

Um pouquinho de história

Cidade “berço”, histórica e milenária, com um papel fundamental na formação de Portugal. O Centro Histórico de Guimarães é estruturado por uma sucessão de praças e ruazinhas estreitas, com um tipo particular de edifícios, diversificado, porém com grande unidade formal , construidos com as técnicas construtivas tradicionais (taipa de rodízio e de fasquio). Em 2001, com muita razão, o seu centro histórico foi designado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO e, em 2012, foi a Capital Europeia da Cultura.

Rua de Santa Maria, caminho entre o hotel e o Paço dos Duques

Rua de Santa Maria, caminho entre o hotel e o Paço dos Duques

Largo Martins Sarmento

Largo Martins Sarmento

Como chegar

Esta linda cidadezinha está a umas 3:30 de Lisboa de carro; também é possível chegar em tremônibus e avião. Saímos na sexta no final da tarde de Lisboa para jantar em Guimarães. Chegamos tarde no Hotel da Oliveira e, mesmo assim, atenderam-nos no restaurante do hotel, HOOL, e comemos um cabrito ótimo, daqueles que desmancha na boca!

Onde ficamos

Hotel da Oliveira fica no centro de Guimarães, em uma das inúmeras pracinhas super charmosas da cidade. O quarto é espaçoso e já tinham colocado o bercinho para o Kai (nem todos os quartos têm banheira, assim que, se for houver necessidade, o melhor é solicitar um quarto com banheira na hora da reserva porque este hotel não tem banheirinha para bebê).  O nosso quarto dava para a praça, que fica cheia, e não tivemos nenhum problema em dormir; assim que fica a dica: pedir quarto com vista a praça.

IMG_0409

Quarto do Hotel da Oliveira

IMG_0414

Praça da Oliveira: vista do quarto do hotel

O que ver

No sábado fomos ao Castelo de Guimarães, na verdade as ruínas do castelo, e ao Paço dos Duques de Bragança, um palácio do século XV muito bem conservado e, ótima noticia, adaptado para cadeiras e rodas e carrinhos de bebês! Com um estilo arquitetônico único na península ibérica, exibe chaminés cilíndricas e coberturas de grande inclinação características arquitetônicas da Europa setentrional. (Dica: vale a pena ir durante a tarde, pois o sol ilumina a capela.)

IMG_0425

Castelo de Guimarães

IMG_0443

Paço dos Duques de Bragança

Depois do almoço fomos ao Nata comer a sobremesa. Em casa temos um dilema sobre os pastéis de nata; o Toni acha que há bons pastéis em vários lugares, já para mim o único é o da famosa doceria lisboeta:”Pasteis de Belém“. Isto pensava eu até experimentar os pastéis do Nata… que deliciaMassa crocanterecheio no ponto de açúcar e tudo isso quentinho….delícia! Depois descobri que é um franchising que também está em algumas cidades espanholas e em Paris. Em frente ao Nata está o Jardim Público da Alameda, ótimo para as crianças correrem e brincarem para gastarem a energia dos pastéis. O Kai amou “caminhar” por ali e recolher alguns “tesouros” do chão!

Alameda

Jardim Público da Alameda

Dalí, fomos à zona de Couros, em outros tempos a cidade foi núcleo de curtumes. Passeando, encontramos uma exposição curiosa no Instituto de Design: “Era uma vez… ciência para quem gosta de história“. Hesitamos em entrar, mas acabamos entrando. Ainda bem! É uma exposição interativa de ciência e tecnologia que utiliza os contos tradicionais para explorar conceitos das ciências naturaisé a fantasia dos contos aplicada à realidade do mundo! São 10 histórias clássicas, entre elas: “Cinderela”,  “Alice no País das Maravilhas”, “Branca de Neve e os Sete Anões”, “Chapeuzinho Vermelho”, “Joãozinho e Mariazinha”, “Os Três Porquinhos” e “Pinóquio” contadas de uma maneira diferente. Ótimas ideia e execução!  Genial!IMG_0542IMG_0520IMG_0537IMG_0523Depois desta injeção de fantasia fomos ver o Centro Cultural Vila Flor. Um palácio do século XVIII, um edifício do XXI e lindos jardins destinados à cultura. Os jardins são um excelente lugar para um piquenique.

IMG_0549

Palácio Vila Flor

                 IMG_0546IMG_0565

A próxima parada foi a Plataforma das Artes e da Criatividade. Este projeto, transformou a antiga praça do mercado municipal num espaço multifuncional, dedicado à atividade artística, cultural e econômico social, no âmbito da Capital Europeia da Cultura de 2012. As exposições podem agradar mais a uns que a outros, mas os bancos da praça central agradarão a todos: grandes e pequenos! A praça central é ótima para os pequenos pois está protegida e eles podem ficar a vontade. Já no caminho de volta para o hotel paramos em uma pracinha para aproveitar o final de tarde e fazer uma boquinha antes do jantar.

IMG_0572

Plataforma das Artes e da Criatividade

IMG_0591

Edificações no centro histórico de Guimarães

IMG_0575IMG_20150307_173844IMG_0587

Onde comer

Seguindo o conselho de uma amiga de Guimarães, fomos jantar no restaurante São Gião. Nome estranho, à uns 20 minutos do hotel de carro por uma estrada mau iluminada… mais ou menos onde Judas perdeu as botas. Não tem placa, você “acha” que chegou porque só tem “isso” aceso! Com tudo isto, valeu a pena! Um restaurante familiar, com um serviço impecável e uma comida maravilhosa. Para quem estiver de carro aqui fica a dica: restaurante São Gião!

Teleférico e Parque da Penha

No domingo pegamos o teleférico (que o Kai alucinou!) e fomos ao Parque da Penha. Também é possível subir de carro (mais cômodo já que, no teleférico, é necessário fechar o carrinho de bebê para entrar). Dica: para os que vão com carrinho e de teleférico existe um acesso sem escadas, é só perguntar para a pessoa que estiver controlando o teleférico. Não está indicado!). E, para os mais atletas, também dá para subir de bicicleta ou a pé. O parque é lindo e muito bem cuidado. No meio do parque está o Santuário da Penha.

IMG_0627

Parque da Penha

 IMG_0638IMG_0646IMG_0656

E assim acabamos mais uma aventura com o Kai e, como gostamos muito e ficamos sabendo que dia 29 de novembro há a Festas Nicolinas na cidade, voltaremos com certeza!

Referências

Trem Lisboa – Guimarães

http://www.cp.pt/passageiros/pt

Ônibus Lisboa – Guimarães

www.rede-expressos.pt http://www.citiexpress.eu/c/horarios

Hotel da Oliveira

http://www.hoteldaoliveira.com/

Rua Santa Maria, (entrada principal) Largo da Oliveira (acesso restaurante)

Castelo de Guimarães

http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=1060

Paço dos Duques de Bragança

http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=1139

Exposição: Era uma vez…

http://www.pavconhecimento.pt/visite-nos/exposicoes/detalhe.asp?id_obj=2280 https://www.facebook.com/institutodesign

Centro Cultural Vila Flor

http://www.ccvf.pt/index2.php?pic=true

Parque da Penha

http://www.penhaguimaraes.com/es/

Nata

http://www.natalisboa.com/index.php/pt/

Restaurante São Gião

Avenida Comendador Joaquim de Almeida Freitas, 56, 4815 Moreira de Cónegos

Festas Nicolinas

http://www.nicolinos.pt/site/s/443

Veja no google maps, como foi nosso trajeto no primeiro dia:  Itinerário 1º dia

Ana, mãe do Kai de 3 anos e da Noa de 2 meses. Arquiteta, mãe e passageira, seja para onde for a viagem. Ela adora viajar em família e mostrar diferentes países e culturas aos seus pequenos.

Ver meus outros posts

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *