Seoul com crianças: nosso roteiro (parte 1)

Seoul com crianças: nosso roteiro (parte 1)

A primeira parada da nossa viagem à Coreia foi Seoul. Uma cidade grande, grandíssima e lotada, às vezes um pouco demais. Como poucos turistas ocidentais e muitos chineses. Onde é possível você pagar 5 euros por um café com leite em uma das inúmeras cafeterias da city e os mesmos 5 euros para almoçar em um restaurante local. A cidade da cosmética e das cirurgias plásticas, a mais inusitada delas para abrir mais os olhos parecendo mais ocidentais.

Como urbanista me surpreenderam alguns fatos. A gestão, ao a falta dela, do lixo. Tanto em Seoul como em Bussan é possível encontrar montanhas de sacos de lixo nos becos no centro destas cidades. A maneira que tem para evitaranimais indesejados” e o mau cheiro dos bueiros: cobrem todos com uma “manta” de borracha. A boa conservação dos parques urbanos e “pocket parks” espalhados pela cidade e a falta de parques infantis; haviam parques públicos, mas sem parquinhos para os pequenos.

Em geral, os coreanos são simpáticos e tentam sempre ajudar; o grande “pero” é que poucos falam inglês e é aí onde se criam situações inusitadas como: parar 5 táxis e que todos te digam que não (porque não sabem onde te levar se não estiver escrito em coreano), fazer o check-in no hotel para 3 noites, pagar e na manha seguinte não saibam te explicar como (nem em inglês), mas não há disponibilidade para as outras noites (sendo que estava tudo confirmado pelo Booking), … enfim uma enorme quantidade de situações engraçadas para contar.

Detalhe da mesinha com os formulários de entrada na Coreia. Óculos para quem precisar, canetas, ...

Detalhe da mesinha com os formulários de entrada na Coreia. Óculos para quem precisar, canetas, …

Bom, explicado isto, vamos ao que interessa… como organizamos nossos dias em Seoul?! Vou explicar 3 dias no post de hoje e o resto no post da semana que vem…

Dia 1 – Do aeroporto fomos ao nosso Hanok (depois dou mais detalhes) no bairro de Jae-Dong em táxi. Kai com um febrão daqueles! Então tomamos banho, demos remedinho e esperamos a febre baixar para sair para almoçar. Se o Kai estava a quase 40 de febre, a temperatura em Seoul também beirava esta marca. Como tínhamos combinado de jantar com um amigo em Gangnam e não queríamos muitas idas e vindas, fomos almoçar por lá mesmo.

Pegamos o metrô na estação de Anguk (linha 3) e paramos na estação de Gangnam (linha 2). Dica: para o metrô vale a pena comprar a TMoney como expliquei neste post.

Almoçamos no primeiro restaurante que vimos pois entre o fuso horário completamente trocado e o calor não tínhamos muito poder de decisão. Era um restaurante japonês, Saboten, que somente serviam pratos quentes. Eles são especializados em Donkatsu, um prato japonês com carne de porco empanada.

De lá fomos passear pelo bairro mais “in” da cidade. Lojas, lojas e mais lojas. Para os amantes da cosmética este lugar é o paraíso… uma loja ao lado da outra com todos os produtos possíveis e imagináveis dentro do mundo da beleza!

Tínhamos que fazer esta foto!

Tínhamos que fazer esta foto!

Neste bairro, além dos arranha-céus com arquitetura para os mais variados gostos, estão as boutiques das marcas mais conhecidas mundialmente, quarteirões dedicados às lojas de golf, outros às de carros, … um bairro para passear e observar lugares e pessoas.

IMG_5898 IMG_5892

Além das lojas no térreo, nesta zona é muito comum que karaokês, discotecas, game zones, … estejam em outros andares dos edifícios. Então, além de ver o que está a altura dos olhos, é sempre bom levantar a cabeça porque, com certeza, encontraremos coisas interessantes.

Kai pirou com os espaços de karaokes e videogames que via desde a rua.

Kai pirou com os espaços de karaoke e video games que via desde a rua nos diferentes andares dos edifícios.

Evidentemente, não posso deixar de mencionar os jogos de videogame, uma febre. Personagens em camisetas, bonequinhos e todo o tipo de souvenir, além de várias game zones espalhadas pela cidade.

Acabamos o dia com um “corean barbecue” delicioso no restaurante Yakiniku Doraji em Gangnam!!! Super recomendado!

Dia 2 – Os meninos, exceto o Kai, foram à DMZ e nós mais o Kai fomos passear. Descemos a avenida Sejong-daero, que sai da porta principal do palácio de Gyeongbokgung. Esta é uma zona com muito edifícios de escritórios, alguns pocket parks, museus e cafés.

IMG_5924

Estátua do Rei Sejong (criador do alfabeto coreano, Hangul, e de outras estratégias para melhorar e estabilizar a prosperidade) na avenida Sejong-daero

IMG_5915

Pocket parks na avenida Sejong-daero

IMG_5912

Como faríamos os principais palácios todos juntos, entramos no

 (compramos o Combination Ticket). Este conjunto de palácios, que foi residência de vários membros da realeza, tem seus edifícios construídos em madeira de sugi ou estuque. É um lugar muito agradável para passear e se proteger do sol.

IMG_5940

Troca da Guarda do Palácio de Deoksugung

IMG_5960

Jardins do Palácio de Deoksugung

IMG_5964

Kai, que ainda não estava 100%, aproveitou as sombras fresquinhas do Palácio de Deoksugung para tirar uma sonequinha.

IMG_5969

Detalhe dos telhados dos edifícios do Palácio de Deoksugung

Dica: organizar a vista para poder ver a troca de Guarda que é linda! Aqui estão os horários. Além disto, alguns dos palácios fazem visitas noturna guiadas, porém não é permitida a entrada de crianças menores de 12 anos.

De lá pegamos um táxi para o Memorial da Guerra (Atenção que este museu fecha às segundas). O museu conta com uma exposição permanente interior, que conta a história das guerras e faz homenagem aos seus soldados, e outra exterior, com avioes e veículos usados durante estas guerras. Kai amou entrar nos avioes e tanques!

IMG_5976

Memorial da Guerra, acesso ao edifício principal

IMG_6643

Zona exterior do Memorial com exposição de tanques e aviões

IMG_6647

Dica: levar sempre o nome do destino escrito em coreano antes de pegar um táxi.

Ainda no mesmo complexo está o Children’s Museum (estando de costas para o edifício do Memorial, o Children’s está à esquerda). Este é um museu pequenininho que “explica” as guerras para as crianças. Como já tínhamos ido ao Memorial e aos aviões e tanques, o Kai não achou muita graça neste museu.

Como fazia muito calor resolvemos dar um mergulho na piscina do hotel onde estavam os nossos amigos. Bom…isto foi toda uma experiência… Primeiro, se Seoul tem muita gente, as piscinas têm o triplo de gente. Segundo, se na rua andam todos cobertos para se proteger do sol, nas piscinas também. Quando chegamos na zona de piscina parecíamos uns extraterrestres: de chinelo e biquíni procurando um lugar para colocar as coisas no meio de uma multidão de crianças e adultos vestidos dos pés à cabeça! Assim foi a nossa primeira vez numa piscina na Coreia…pior que isto…só a segunda que contarei na semana que vem.

Do hotel fomos encontrar os meninos no Mercado de Namdaemun (Linha 4, parada Hoehyeon, saída 5 ou 6) , um mercado de rua com mil tipos de comidas, pessoas e artigos diferentes; muito bacana!

IMG_3188 IMG_3165 IMG_3160 IMG_3148

De lá fomos jantar em um restaurante na zona de Susong-Dong.

Dica: os coreanos jantam entre 18:30 e 20:00. Assim, muitos restaurantes locais fecham depois das 20:30. Nós tentamos sair para jantar mais tarde dois dias e acabamos em restaurantes ocidentais.

Onde Ficar 

Os Hanoks, Casas Tradicionais Coreanas, são excelentes opções de hospedagem. Estas “casas particulares” transformadas em hotéis estão têm acomodações para todos os gostos e bolsos. Em Seoul eles estão, principalmente, na Bukchon Hanok Village (bairros de Gahoe-Dong e Jae-Dong).

Os Hanoks são construções super interessantes com um sistema único de aquecimento (ondol) e um pátio interior para os dias de muito calor.

Tradicionalmente, os hanoks são casas de famílias que reservam alguns quartos para receber convidados. A cozinha e, às vezes, o banheiro é compartido entre os hóspedes e os residentes da casa. Hoje em dia há muitos Hanoks que já oferecem banheiro privado para cada hóspede e, em alguns casos, até café da manha preparado. Um “must” desta tipologia de alojamento é dormir em futons, uma espécie de colchão fininho colocado no chão.

Nós ficamos na MuMum Guesthouse, um hanok que está bem no centro na Bukchon Village, perto do metrô, de muitos cafés e comércios. A proprietária, Rosa, e a mãe dela foram uns amores. Tínhamos um quarto com banheiro (tudo bem limpinho), futon para os três e ar condicionado (imprescindível com o calor de Seoul). O Kai achou o máximo dormir no chão!!! Acho que vou aderir ao futon em casa.

O café da manha estava disponível na cozinha, mas cada um preparava o seu. Alguns dias tomamos café lá, outros nos cafés da redondeza.

Para as pessoas que não querem ficar em Hanoks, há uma infinidade de opções de hotéis. Uns amigos nossos ficaram no Somerset Palace, bem pertinho do palácio de Gyeongbokgung. Os quartos deste hotel eram ótimos, com cozinha, sala, quarto e banheiro. Ideal para uma família com dois filhos. O café da manha era bem servido e a piscina no último andar.

IMG_5999

Cozinha-office do Somerset

IMG_6000

Sala de estar do quarto do Somerset

IMG_6001

Quarto do Somerset

Semana que vem conto o resto dos nossos dias em Seoul com direito à comer polvo “quase” vivo, visitar os arredores de Seoul e bairros super interessantes.

Ler mais sobre Coreia com crianças:

Coreia com crianças: mais que uma aventura

DMZ (Zona Desmilitarizada da Coreia) sem crianças

Seoul com crianças: Lotte World, um parque dentro de uma loja de departamentos

Ana, mãe do Kai de 1 ano. Arquiteta, mãe e passageira, seja para onde for a viagem. Ela adora viajar em família e mostrar diferentes países e culturas ao Kai.

Ver meus outros posts

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *