Alimentação do bebê em viagens internacionais

Alimentação do bebê em viagens internacionais

Muitas mães me perguntam como eu faço com a alimentação da Olivia nas nossas viagens internacionais. Afinal, ela ainda é um bebê e não come qualquer comida. A Olivia começou a introdução alimentar de papa salgada aos 6 meses, e eu já tinha uma viagem pra Bali, Hong Kong e Dubai marcada para dali 2 meses. Não posso negar que fiquei um pouco apreensiva. Mas tudo correu muito bem, não foi nenhum bicho de sete cabeças e resolvi compartilhar algumas dicas com base nas minhas experiências.

 

Informe-se!

Para sentir-se mais segura, mande e-mail para os hotéis em que você irá se hospedar para perguntar se eles possuem algum menu especial para bebês ou se seria possível fazer uma comida especial do jeito que seu filho está acostumado. Até hoje, todos os hotéis foram muito receptivos e me aliviaram dizendo que fariam sem problemas. Em todos os lugares do mundo você encontra batata, cenoura, arroz, franguinho grelhado… Se possível, escolha um hotel que tenha estrutura para crianças, eles atendem os pequenos com prazer e isso facilita muito. Alimentacao de bebes em viagem internacional

 

Programe-se!

Caso você dependa do hotel para fazer a comidinha do seu filho, fique atento para fazer o pedido com pelo menos 40 minutos de antecedência do horário que a criança vai comer para evitar choradeira e fome. Se estiver indo passear e não sabe se irá encontrar um restaurante com comida para o bebê, solicite a comida ao hotel antes de sair e coloque no potinho térmico para criança comer no meio do passeio. Eu amo o Foogo da marca Thermos. Ele preserva a comida aquecida por algumas horas. Pote termico Foogo da Thermos

Quarto com cozinha

Optar por um apart-hotel ou alugar um apartamento com cozinha é uma ótima opção. Para quem gosta, da pra ir ao mercado ou feira local fazer compras e preparar a comidinha dos pequenos. Se tiverem outros destinos (voos domésticos permitem levar comida congelada), é possível preparar e congelar para o resto da viagem. Agora em Fevereiro fomos para Paris e St Moritz. Fizemos várias sopas e comidas no nosso apart hotel em Paris, congelamos e levamos para St Moritz. Levei uma sacola térmica, gelos e potinhos para armazenar a comida e assunto resolvido! Mas lembre-se de colocar a comida imediatamente no freezer assim que chegar no destino.

Papinha Pronta

Quando eu fui para Bali, pegamos voos intermináveis, conexões com espera e levamos 40h para chegar. Eu não tinha outra escolha a não ser optar por papinhas prontas para as refeições que fizemos no avião e nos aeroportos. Meu pediatra me tranquilizou dizendo que as papinhas Nestlé não possuem conservantes e agrotóxicos. Então encarei e comprei vários sabores de papinhas salgadas e de frutas para levar na viagem. Olivia aceitou bem, mas procurei dar somente em emergências.

 

Lanchinhos saudáveis!

 
Sempre pego frutas inteiras no café da manhã do hotel ou das salas vips dos aeroportos. Banana e maçã são opções muito práticas e saudáveis para termos em mãos. Sem contar que encontramos essa dupla em todos os cantos do mundo. E é sempre bom ter uma colher na bolsa do bebê. Olivia Coco em Bali

Leite em pó extra!

Procuro levar a quantidade de leite necessária para a viagem toda já do Brasil. Calculo quantas mamadeiras ela mama por dia e levo um pouco mais, pois uma alternativa é substituir uma refeição por uma mamadeira de leite. Durante a viagem, quando estamos no táxi, no metrô, no check-in do aeroporto, no meio da fila da imigração… prefiro substituir a refeição por uma mamadeira. Ela adora e isso facilita a minha vida. Mas não se preocupe se o leite acabar. Até hoje consegui encontrar o leite da Olivia em destinos como Hong Kong, Paris e Capri. Mas ainda assim prefiro estar equipada para não perder tempo na viagem em busca de leite. Outra dica importante, sempre leve uma lata de leite na mala de mão por segurança, em casos da mala despachada não chegar até o destino final.

Prepare seu bebê antes de viajar!

Na primeira viagem que fiz com a Olivia me falaram para acostumá-la a mamar o leite em temperatura ambiente, sem aquecer. Durante as viagens, muitas vezes estamos sem estrutura, no meio da rua, no aeroporto e o bebê precisa comer. O mesmo fiz com a sopa assim que ela começou a introdução alimentar. Algumas semanas antes de embarcar oferecia, de vez em quando, a sopa em temperatura ambiente para ver como ela se sairia. Essa dica também serve para o bebê que nunca comeu papinha pronta e terá que comer durante a viagem. Sempre teste em casa!

Cuidados!

Evite dar comidas que a criança nunca comeu durante as viagens para não correr o risco de dar alergias ou outros problemas. Mas se o seu filho já tem idade e já pode comer de tudo, mergulhe nas comidas locais sem medo. Sou mais do que a favor de educar a criança a aprender a se alimentar de comidas de outras culturas.

Relaxe e aproveite!

Quem não sai da rotina durante uma viagem? Nós adultos comemos mais do que devíamos, pedimos sobremesa. Comemos fora de hora, dormimos tarde, acordamos mais tarde ainda… Uma das coisas boas de viajar é sair da rotina. Procuro ao máximo continuar a rotina da Olivia nas viagens, mas sem neurose. Se não deu, não tem problema. Com a alimentação é assim. Tento oferecer uma refeição saudável e fresca… mas se não for possível naquele momento, desencane! Uma papinha pronta, mamadeira com leite ou uma fruta podem substituir uma refeição na correria. Sabemos que estamos sempre fazendo o melhor que a gente pode!

 

#oliviaroundtheworld

 

Leia também:

Viagem com bebês – com 9 meses Olivia já visitou 13 destinos

 

Mariana Cassou, mãe da Olivia de 9 meses. Co-fundadora do e-commerce de moda Gallerist. Ama viajar, principalmente para destinos exóticos. É autora do guia "Marrakech", cidade onde se casou, lançado pela editora Pulp em 2014. Desde que virou mãe, leva Olivia em suas viagens pelos quatro cantos do mundo.

Ver meus outros posts

2 comentários

  1. ResponderRafaela

    Olá Mariana.
    Muito bom saber essas informações sobre a sua Olivia, e nos tranquilizar de uma possível longa viagem com filhos pequenos, ou melhor, bebes.
    Mas tenho uma dúvida, sobre a questão da quantidade de horas dentro do avião, pressurização, como a bebe é acomodada, fico muito preocupada.
    E tb tenho minhas duvidas, sobre a imunidade da bebe em países que tem a probabilidade de vírus, como fez com as vacinas da Olivia, acredito que nessa idade ainda não se pode vacinar por febre amarela, por exemplo, sua viagem para Dubai.
    aguardo noticias e parabens pela bela matéria.

  2. ResponderMariângela

    Mariana,
    Muito legal suas dicas de alimentação!
    Sobre o leite em pó, me falaram pra levar na mala de mão as medidas para o voo, até chegar no destino e um pouco extra. Ok. Mas posso levar uma lata fechada na mala de mão, em caso de emergência? Por exemplo nume situação que as bagagens serão despachadas e o voo atrasar muito? Como eu sairei de Curitiba, despacho as bagaens aqui e só pegarei no destino (N.Y.).
    Você já teve problemas quanto ao leite em pó em raio X ou em inspeções?
    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *