Marrakech com bebê

Marrakech com bebê

A segunda viagem internacional que fizemos com a Olivia foi para Marrakech, no Marrocos, quando ela tinha 4 meses e meio (a primeira viagem dela eu contei aqui). Eu e meu marido nos casamos lá em 2014 e tentamos voltar todos os anos para comemorar nosso aniversário de casamento. 

Pra gente, Marrakech é uma cidade mágica, com energia única. Mistura tradição com inovação como ninguém. Possui ótimos hotéis e restaurantes, tem pontos turísticos cheios de história, culinária saborosa, povo caloroso… um destino para se apaixonar!

Apesar de já ter ido inúmeras vezes ao Marrocos, não posso negar que fiquei apreensiva pois a Olivia ainda era bem pequena. Mas no dia a dia estando lá, tiramos de letra e curtimos muito. Marrakech recebe nossos pequenos muito bem. Os marroquinos são muito amorosos com as crianças e gostam de ajudar. Fomos bem recebidos no hotel e em todos os restaurantes que frequentamos com a Olivia. 

Como Chegar:

Para evitar muitas escalas com o bebê, pegamos o voo direto da Royal Air Maroc que faz São Paulo (Guarulhos) – Casablanca. O voo dura 9h e o avião é velho e sujinho. Mas os comissários de bordo foram bem atenciosos e garantiram um lugar com berço para a Olivia, que dormiu o voo inteiro.


Chegando em Casablanca, fomos um “alvo” e fomos revistados. Essa rota é conhecida por “tráfico de drogas” e pais com bebê de colo são sempre suspeitos. Na chegada, assim que saímos do avião fizeram uma revista na gente e na saída da alfândega, depois que pegamos as malas, nos pararam novamente, abriram todas as malas e tiraram tudo de dentro. Essa parte não foi boa, mas como não tínhamos nada a temer, estava tranquila. Teria sido melhor se alguém tivesse me avisado que seria assim, dica de amiga! Então estejam preparados para o “pior”. Até o leite em pó foi aberto e investigado. Mas seguimos em frente!

Pegamos um motorista que nos levou de Casablanca até Marrakech de carro. Achamos mais fácil e seria mais rápido do que esperar mais algumas horas no aeroporto e ir de avião. A estrada é ótima e segura e a viagem dura cerca de 2h 30min.

Uma ótima opção é ir via Europa e fazer uma parada em alguma cidade europeia antes de partir pra Marrocos. Existem voos diários da maioria das cidades grandes diretamente pra Marrakech. 

Hotéis: 

Dessa vez decidimos ficar em um hotel menor e mais privado, prezando por uma piscina gostosa, silêncio e restaurante com comida boa. Sempre tentamos conhecer hotéis e lugares diferentes. O escolhido foi o Riad Ksar Char-Bahg, que faz parte do Relais&Chateaux. 

O hotel é um casarão marroquino antigo, com apenas 12 quartos. A piscina é maravilhosa, com muitas palmeiras e um jardim de oliveiras encantador.


O hotel fica à 15-20 min de carro da Medina (centro antigo da cidade). E apesar de sermos apaixonados pela Medina de Marrakech, dessa vez com a Olivia, escolhemos uma opção mais tranquila e foi a escolha perfeita.  

Se for sua primeira ida a Marrakech, sugiro se hospedar na Medina e de preferência em algum Riad, para ter a verdadeira experiência marroquina. A Medina é onde tudo acontece, e a maioria dos Riads são calmos e bem privados também. Alguns Riads bacanas são: Riad dar One, Riad Dar Darma e Riad Dar les Cigognes. 

Nosso Riad favorito na Medina é o Riad el Fenn. Ele mistura arte contemporânea com decor marroquino. Um quarto é diferente do outro. O rooftop é incrível para ver o por do sol. E o restaurante deles é maravilhoso para jantar. Dentro do restaurante ainda tem uma lojinha com uma ótima seleção de roupas, objetos e acessórios. 


Adoro também o Beldi Country Club que além de hotel, é um clube e restaurante. Lá eles possuem uma fazenda de rosas, uma oficina de cerâmica, uma estufa com um café lindo. Se você não se hospedar aqui, vale a visita! 

Fora da Medina existem muito hotéis incríveis como Mandarin Oriental, Amanjena do grupo Aman, o Selman que tem cocheiras com cavalos árabes de sangue puro e o Palais Namaskar, onde me casei. Além, claro, do famoso La Mamounia. 


E nosso esquema era o seguinte: aproveitávamos a piscina do hotel pela parte da manhã, enquanto o sol não era tão quente pra Olivia, passeávamos e almoçávamos na Medina, víamos o pôr do sol de algum terraço e voltávamos pro hotel. Dávamos banho na Olivia, mamadeira e íamos jantar no restaurante do nosso hotel com ela dormindo. Foi muito fácil, e ela pode nos acompanhar sem nenhum desconforto.


Restaurantes:

Além dos restaurantes dos hotéis que citei acima, algumas opções que gosto são:

Terrace des Épices: fica num terraço com vista para os souks. Cardápio marroquino delicioso, prove o cuscuz ou o tajine. Serve almoço e jantar e aqui as crianças são bem vindas!

Le Jardin: em um simpático jardim, dentro da Medina, serve saladas e sanduíches. Aberto das 9h as 23h e super kids friendly. Tartarugas caminham soltas pelo espaço, os pequenos vão amar!

I Limoni: restaurante italiano com pátio de limoeiros perfumados

Bô-Zin: animado e com música alta, mas adoro esse lugar. Se tiver com quem deixar a criança, vale a visita. Moderno e descolado!

Dar Yacout: experiência gastronômica marroquina imperdível que abre para jantares! Não levei a Olivia aqui, mas acredito que eles receberiam os pequenos com carinho. Confirme antes e reserve!

Grand Cafe de la Poste: restaurante de culinária francesa bem simpático, localizado em Guéliz, parte nova da cidade. Abre para jantar e almoço. Se estiver sem crianças, o lounge no andar de cima e maravilhoso para drinks. 

Programação:

Para bebês pequenos, acompanhar os pais por tudo, de preferência no sling ou canguru. Achei as ruas da Medina em Marrakech um pouco difíceis para caminhar com o carrinho, mas se seu filho for grande pro sling, vá de carrinho e encare os buracos numa boa. Evite deixá-lo solto pois na Medina passa carroça com burrico, motos, muita gente e labirintos. Mas é seguro e divertido, eu garanto!

Se perder na Medina e barganhar pelos Souks é algo indispensável a se fazer em Marrakech. Assim como visitar a praça Djemaa El Fna onde tudo acontece, encantadores de serpentes, tatuadores de hena, vendedores insistentes… e o burburinho só aumenta até o entardecer. 

Ainda na Medina, a visita a Medersa Ben-Youssef é um dos meus programas favoritos e um dos pontos turísticos mais bonitos da cidade. Além de sempre render belas fotos.

 Visita ao Jardin Majorelle, o famoso jardim de Yves Saint Laurent. E o Jardin Menara e Palais Bahia são pontos importantes a serem visitados.

Assistir ao pôr do sol em um dos milhares de terraços pela cidade é um dos nossos momentos favoritos do dia. 

 Andar a camelo e alugar um triciclo para explorar o deserto de Palmeraie (bairro das palmeiras), para crianças maiores, são programas bem divertidos. Para os adolescentes, o passeio de balão é indescritível e indico a equipe da Maroc Montgolfiere.

Se estiver com tempo, visita ao Atlas para conhecer o Kasbah du Toubkal e passear de burrico é inesquecível! 

Quando ir: 

Marrakech tem temperaturas amenas quase o ano todo. Mas evite o calor extremo de Junho a Agosto, que chega a 45 graus Celsius e é muito seco. 

Minha sugestão é ir no Outono (Fevereiro a Abril) ou na Primavera (Setembro a Novembro). De dia faz calor agradável e a noite a temperatura abaixa, mas é um frio gostoso. O legal do Inverno/Outono é ver a neve no topo dos Atlas.

Evite também o Ramadã, cada ano é uma data distinta, próxima de Agosto. Informe-se antes de ir, pois nesse período tudo fecha. 

Higiene:

A água em Marrakech não é potável e um dos fatores que me preocupou durante nossa estadia foi a lavagem das mamadeiras e o banho. 

Sugiro levar aquele saquinho esterilizador de microondas e pedir pra esterilizarem as mamadeiras e chupetas no microondas do hotel se o bebê ainda for pequeno e precisar desse cuidado. De qualquer forma, lavar com água potável é sempre uma boa alternativa e foi isso que eu fiz. A garrafa de água mineral no mercado é baratinha. 

O banho, evitamos lavar o rosto dela com água da torneira e cuidamos na hora de enxaguar o cabelo. Mas sem neurose, viu?! E tudo correu bem e ela não teve nenhum problema. 

Na bagagem: 

Leve tudo o que for necessário para o bebê na bagagem. Apesar de terem farmácias e mercados, talvez você não encontre o leite do seu filho com facilidade. Procuro sempre ir equipada para evitar contratempos! 

Não esqueça de trazer protetor solar e chapéu para o bebê. Roupas frescas para o dia e casaquinhos para a noite. E não esqueça de manter o bebê sempre hidratado!


Mariana Cassou, mãe da Olivia de 9 meses. Co-fundadora do e-commerce de moda Gallerist. Ama viajar, principalmente para destinos exóticos. É autora do guia "Marrakech", cidade onde se casou, lançado pela editora Pulp em 2014. Desde que virou mãe, leva Olivia em suas viagens pelos quatro cantos do mundo.

Ver meus outros posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *