Rota das emoções com crianças – Lençois Maranhenses a Jericoacoara

Rota das emoções com crianças – Lençois Maranhenses a Jericoacoara

A Rota das Emoções foi criada em 2005 para integrar as principais atrações de três estados nordestinos: Maranhão, Piauí e Ceará. É uma rota relativamente nova e ainda pouco conhecida e explorada. De forma geral, diz-se que ela começa (ou termina) nos Lençóis Maranhenses e acaba (ou inicia) em Jericoacoara, tendo então 386 km, de ponta a ponta:

Rota das Emoções

Imagem do site do Sebrae

O ponto crítico para quem quer se aventurar por aquelas bandas é a organização da viagem. Embora as distâncias entre as principais cidades/ atrações sejam pequenas (em termos de km), o deslocamento entre elas não é tão fácil porque algumas estradas são muito ruins e as vezes inacessíveis para carros comuns, circulando apenas veículos 4X4. A distância entre os Lençóis e São Luis (aeroporto mais próximo) é de 250km, que é percorrido em 4 horas. Jericoacoara tem um aeroporto com vôos diretos para SP (mas quando pesquisei os preços estavam surreais: apenas o trecho Jericoacoara – São Paulo estava R$1500 por pessoa) e Fortaleza acaba sendo um aeroporto usado também, o que adiciona mais 300km e 5 horas para entrar ou sair da Rota.

Assim, no meu ponto de vista, a Rota das Emoções é um trecho a ser percorrido com calma, e em pelo menos uma semana (nós fizemos em 12 dias/ 11 noites) e com uma boa organização prévia e planejamento dos deslocamentos, mas é importante dizer que somos adeptos de um estilo slow de viajar, gostamos de curtir cada lugar muito mais do que ver todas as atrações. Não nos preocupamos em ir em todas as cidades/ locais, e isso vai estar refletido no nosso roteiro, que ficou assim:

 

Roteiro na Rota das Emoções

Dia 1: Chegada em São Luis e pernoite no Ibis São Luís (como somos uma família de 4 pessoas, tivemos que pegar dois quartos, que não eram conectados).

Dia 2: Transfer São Luis – Barreirinhas (fizemos pela Rota Combo, que é uma empresa que oferece passeios e ônibus regulares entre cidades da Rota. Na parte Como escolher como se deslocar na Rota das Emoções eu falo mais sobre como eles funcionam), chegada no hotel Paraíso dos Guarás em Barreirinhas em torno das 12hs. Almoço no restaurante O Bambu e resto do dia descansando na piscina do hotel (nosso vôo para São Luis chegou super tarde e o Rota Combo nos buscou no hotel 07hs, então estávamos super cansados). O hotel era simples, mas limpo e contava com uma piscina e um bom café da manhã, então atendeu nossas expectativas.

Dia 3: Passeio de barco de um dia inteiro pelo Rio Preguiças, que passa em Vassouras, uma ilha onde há macacos e uma lagoa deliciosa para banho, Mandacaru, que é um pequeno vilarejo com um farol e Caburé, um lugar belíssimo onde se pode tomar banho de rio e almoçar nos restaurantes do local. Compramos todos os passeios de Barreirinhas com a São Paulo Ecoturismo.

Rota das Emoções - Lençois Maranhenses a Jericoacoara

Dia 4: Neste dia pela manhã curtimos mais um pouco a piscina do hotel, almoçamos no restaurante A Canoa (tem área kids, inclusive com pula-pula) e fomos para os Lençóis, fazer o passeio das Lagoas Azul e Bonita. A jardineira (que é o meio de transporte mais comum em Barreirinhas) nos buscou em torno das 13:30hs no restaurante já com algumas pessoas, pegamos mais algumas pelo caminho e fomos rumo aos Lençóis. Antes de começar a aventura, paramos em um mini mercado para algumas pessoas comprarem água, pois não há nenhum ponto de apoio no parque dos Lençóis (portanto, leve muita água e alguma coisa para as crianças comerem também). Entre Barreirinhas e o ponto que a jardineira estacionou para conhecermos as dunas e lagoas, foram quase 1 hora em caminhos de difícil acesso, com a jardineira jogando bastante e alguns galhos batendo nas pessoas. Não é um passeio exatamente confortável, então não acho muito legal para crianças pequenas (menores de 3 anos) ou mesmo idosos.

Chegando lá, a jardineira estaciona e o guia começamos o passeio pelas lagoas. Vamos subindo e descendo dunas (haja perna!) e ele vai contando das peculiaridades de cada lagoa. Em cada lagoa que achamos ficamos uns 30, 40 minutos. É uma delícia!!!! O visual é lindo, as lagoas são mornas, e as crianças se divertem horrores subindo as dunas e descendo correndo. No final da tarde sentamos em uma duna para ver o por do sol, fantástico.
Rota das Emoções - Lençois Maranhenses a Jericoacoara

Dia 5: Fizemos um passeio de flutuação pelo Rio Formiga (bóia cross) pela manhã, super legal! Cada pessoa recebe uma bóia, e em grupo com o guia, vai descendo o rio (demora em torno de 1 hora). É super relaxante, e o trabalho do guia é ir puxando as pessoas que vão parar nas bordas por causa das correntes. O final do passeio é em um “restaurante” (na realidade um espaço informal que a comunidade local organizou para atender as pessoas que chegam do passeio) onde acabamos almoçando, mas me arrependi, pois não gostei muito (não recomendo comer lá). Voltamos para o hotel e na sequência pegamos um transfer privativo até Barra Grande (fizemos com a agência Delta Rio Parnaíba), onde ficamos hospedados no La Cozinha Bungalow

Rota das Emoções

Dia 6: Paixão a primeira vista! Nos apaixonamos por Barra Grande. Não sei se foi o delicioso jantar no hotel (restaurante La Cozinha – MARAVILHOSO), o bungalow charmoso, o café da manhã orgânico, o fato dos meninos terem feito amizade com os filhos dos donos da pousada (belgas) quase instantaneamente, mas de cara gostamos do lugar. Muitos lugares charmosos, muitos gringos, tudo pequeninho e tranquilo… Passamos dois dias da praia para a piscina, e da piscina para uma espreguiçadeira. Tínhamos planos de fazer passeio para ver os cavalos marinhos, voltarmos para Parnaíba para ver o delta e, principalmente, a revoada dos guarás, mas estávamos tão ocupados curtindo o lugar que desistimos. Fomos só numa barraca de praia chamada Trabalha Brasil (como não amar esse nome) para ver o jogo da copa Brasil X México (e o Rafa ainda ganhou o bolão).

Dia 7: Mesma rotina, ocupados com não fazer nada (e nessa altura do campeonato as crianças já tinham uma turminha que jogava bola na praia). Almoçamos na praia, no Kite Lounge, jantamos de novo no hotel.

Rota das Emoçoes

Dia 8: Logo pela manhã o Rota Combo nos pegou para irmos até Jericoacoara. Antes de chegar, fizemos uma parada de 2 horas em uma barraca na Lagoa do Paraíso, para almoço. A lagoa é realmente deliciosa, e dá para aproveitar bastante. Nos hospedamos em um airbnb (J-lov Apart) com dois quartos e cozinha que ficava super próximo ao centro. Vimos o pôr do sol na Duna do Pôr do Sol e jantamos no Samba Rock Cafe (bem gostoso).

Dia 9: Contratamos um buggy para passearmos pelas praias. Fizemos um passeio no mangue para ver cavalos marinhos, fomos andar num toboágua e numa tirolesa e depois almoçar num restaurante na lagoa de Tatajuba com cardápio “ao vivo” – eles trazem peixes, camarões e lagostas, e você escolhe o que vai comer. Voltamos no final da tarde.

Rota das Emoçoes

Dia 10: Como era dia de jogo do Brasil (perdemos para a Bélgica L) ficamos na praia principal até umas 14hs, quando pegamos uma mesa no restaurante da pousada Capitão Thomás (delicioso, super recomendo), na beira da praia. A praia é bem calma, e tem cadeiras/ guarda-sóis para alugar. A toda hora passa alguém vendendo alguma coisa para comprar. Como fomos em julho, a praia estava bem cheia (eu achei até um pouco muvucada).

Rota das EmoçõesDia 11: Saímos novamente com nosso bugueiro  para andar mais nas dunas e conhecer a famosa Pedra Furada, que é o símbolo de Jeri. Conseguimos ir de buggy até um ponto na praia, e depois tem uma caminhada de aproximadamente 30 minutos. Com crianças maiores é bem tranquilo, mas crianças pequenas certamente terão que ser carregadas no colo em alguns momentos (a caminhada tem vários trechos com pedras). O lugar é realmente bonito, mas lotado! Havia até uma fila para tirar foto na pedra. Não ficamos na fila, os meninos brincaram um pouco no mar e voltamos. Seguimos em direção à praia de Preá, passamos pela Árvore da Preguiça, e como já tínhamos vistos muitas lagoas, nosso motorista inovou e nos levou para comer lagostas em uma vila de pescadores bem simples chamado Barrinha, com a comida deliciosa!

Rota das Emoções

Dia 12: Pela manhã fomos para a praia, logo em seguida transfer privativo com a Cooperjeri para Fortaleza, para pegar o vôo para São Paulo.

 

Como escolher como se deslocar na Rota das Emoções

Há diversas formas de se deslocar entre as cidades da Rota das Emoções:

  • Veículo próprio ou alugado: funciona muito bem em alguns momentos, especialmente nos deslocamentos entre as principais cidades, mas em outros carros próprios não poderão ser utilizados (por exemplo na cidade de Jericoacoara os veículos ficam estacionados do lado de fora, e nos Lençóis Maranhenses todos os passeios devem ser contratados com agências). Se você fizer a rota completa, entrar por uma cidade e sair por outra, o custo de devolução do veículo precisa ser considerado também e acaba não valendo a pena.
  • Rota Combo (rotacombo.com.br): empresa de transfers regulares entre as principais cidades da Rota, pegando e deixando os turistas em seus hotéis. Funciona super bem, em horários definidos (é um pouco chato saber o horário exato que o ônibus vai passar para pegar com poucas horas de antecedência, mas é uma questão administrável). Vale muito a pena para famílias de até 4 pessoas, desde que tenha o transfer no dia que você quer se deslocar (não são todos os dias que têm todos os trechos). É interessante que antes de organizar a viagem você consulte o site deles e programe a estadia em função da disponibilidade da Rota, se essa for sua escolha (eu recomendo).
  • Transfers privativos: muito mais confortável (e obviamente mais caro) porque pode-se escolher dia e horário de cada deslocamento. Usamos duas vezes na viagem: entre Barreirinhas e Barra Grande (a Rota Combo não oferece essa opção, ela faz apenas Barreirinhas/ Parnaíba e Barreirinhas/ São Luís) e entre Jericoacoara e Fortaleza (como nosso vôo era no final do dia e o Rota Combo passava no início da manhã, optamos por transporte privativo).
  • Ônibus regular de linha: alguns trechos têm ônibus regulares(São Luís/ Barreirinhas, por exemplo), mas acabamos não utilizando. É uma possibilidade de diminuir custos na viagem.

 

Por Caroline Passuello. Mãe de gêmeos que ama viajar, comer e beber bem.

IG: @carolpassuello

 

Leia também:

Delta do Paranaíba – Piauí

Parque Nacional de Sete Cidades – Piauí

Jericoacoara com crianças e hotel Vila Kalango

Restaurantes em Jericoacoara (Ceará)

Praia Barra Grande (Piauí) com Crianças

Barra grandeBarra Grande (Piauí): Restaurantes e hotéis

Aula de Kite Surf para crianças

 

Confira as tarifas dos hotéis no Booking.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *