Como é viajar de barco pelos canais da Holanda

Como é viajar de barco pelos canais da Holanda

Viajar de barco pelos canais da Holanda foi uma experiência muito diferente e super divertida. Perfeita para quem gosta de aventuras com crianças. Foram 7 noites com toda a família, conhecendo pequenas cidades, comendo bem e brincando de navegadores.  Uma forma muito prática de visitar uma região pois é possível conhecer muitas cidades sem precisar fazer as malas, pegar táxis ou trocar de locomoção. Nós alugamos o barco pela LocaBoat, a empresa também aluga barcos (pénichettes®) em países como Alemanha, Itália, Irlanda e Polônia. A sede da LocaBoat e na França, onde a presença deles é maior.

Lembra um pouco a viagem de motorhome, mas é um pouco mais fácil, pois não é necessário tirar o esgoto, abastecer de combustível ou recarregar baterias.

Família reunida na hora do embarque. Meu irmão, cunhada e sobrinho ainda não tinham se juntado ao grupo

As paisagens são sempre belíssimas. Algumas casas na beira dos canais são tradicionais, outras tem uma arquitetura moderna, quase todas tem uma cama elástica no jardim. Os campos tem plantação de flores ou animais como vaquinhas e carneiros.

Um dos momentos de mais emoção são as passagens pelas pontes ou locks (onde o nível da água tem alturas diferentes) pois a maneira de passar por eles muda de um para outro. Não é nada superestressante mas é necessário entender como cada uma funciona. Na verdade, chega a ser divertido pois uma ponte abre no meio, a outra sobe, outras abrem lado. Em resumo, são alguns dos momentos mais interessantes da viagem.

FAQ – Perguntas e respostas sobre viajar de barco

Qualquer um pode dirigir estes barcos?

Sim. Não é preciso nenhuma carteira de motorista ou autorização especial. Os barcos navegam por locais específicos, rotas turísticas e comerciais, que são passadas nas instruções.

É fácil?

Dirigir em si é fácil. A velocidade é baixíssima, cerca de 10 km/h. As crianças andando de bicicleta nas margens do canal eram mais rápidas do que o barco. é preciso passar por um treinamento que dura cerca de uma hora onde todo o funcionamento do barco é explicado: instruções, manutenção, regras, legislação, etc. Junto com o barco são entregues manuais impressos e mapas superdetalhados indicando todos os canais, com suas pontes e locks com alturas e horários de funcionamento.

O mais difícil é manobrar na hora de atracar (estacionar) nas marinas maiores, onde o espaço é menor. Exige mais calma e atenção (como fazer baliza de carro em uma vaga pequena). Nas marinas alguém sempre aparece e ajuda, dando instruções.

É confortável?

Sim, muito. O barco que alugamos era grande, com 4 cabines, cada uma com seu banheiro próprio, sala e cozinha, além da área externa. Os quartos são pequenos, mas acomodam 2 ou 3 pessoas (duas camas de solteiro que se juntam + 1 cama beliche). A cozinha era relativamente grande, com fogão, forno, geladeira grande, uma pia com bancada e um pequeno balcão. Fizemos refeições deliciosas durante a viagem!

Os barcos tem calefação e água quente.

O único reabastecimento necessário é de água. O maior consumo é do chuveiro. Mas como os banheiros são pequenos, uma boa opção é tomar banho nas marinas, onde há chuveiros pagos (baratos) e em geral limpos e muito bons.

Área externa

A área externa do nosso barco era ótima, tinha banco, mesa e até um leme (era possível dirigir a embarcação). A paisagem era muito linda! No entanto, como estava muito frio (da pra ver pelas roupas nas fotos), não conseguíamos ficar muito tempo. A gente só saia para tirar fotos, curtir um pouquinho e voltava para o quentinho o mais rápido que podíamos!

 

Quanto custa?

Os barcos mais simples custam a partir de 800 euros por semana.

Estão incluídos os equipamentos de cozinha e quarto, seguro do barco e taxas.

 

É possível alugar por menos dias?

Sim. 1 semana ou mais. Em alguns casos 3/4 dias. Na alta temporada é preciso alugar com antecedência.

Há outros tamanhos de barcos?

Sim, há barcos de diversos tamanhos para grupos grandes ou pequenos. O nosso era um dos maiores pois estávamos em 12 pessoas (sendo 8 adultos, 2 crianças de 1 ano, 1 de 8 anos, 1 de 13 anos)

 

É possível se perder pelos canais?

Não, os canais tem poucas pontos de bifurcações. De forma geral, basta seguir o fluxo, os roteiros são quase circulares, a viagem termina onde começou. Uma ou outra vez passamos a entrada, demos a volta e retomamos o canal. Sem traumas.

 

O que são os roteiros temáticos?

São mais de roteiros por canais rios ou lagos que passam por locais com algum interesse específico (história, gastronomia, escapadas). São mais de 200 sugestões de passeios com os barcos.

Os utensílios de cozinha, toalhas e lençóis estão incluídos?

Sim, o barco já vem equipado com panelas, pratos, copos, travessas, lençóis, travesseiros, edredons, toalhas, vassouras. Não estão incluídos os alimentos e itens de higiene e limpeza (detergente, panos de prato, papel higiênico).

 

É seguro?

Sim, os acidentes com barcos são bastante raros, não presenciamos nenhuma ocorrência e nem tivemos nenhuma experiência negativa. A orientação da empresa é, antes de mais nada, entrar em contato para que eles possam auxiliar. Há coletes salva-vidas disponíveis.

Pontes e Locks

Cada ponte tem uma altura diferente, saber a altura do barco é imprescindível. Na frente das pontes tem um número e um sinaleiro:

• se a luz estiver verde, basta passar;

• se a luz estiver amarela, aguarde pois alguém irá abrir a ponte

• sinaleiro com uma luz vermelha: ponte operando, buzine, aperte o interfone ou ligue para a ponte abrir. Espere o sinal ficar verde para passar.

• sinaleiro com duas luzes vermelhas: ponte fechada, procure no manual ou em placas na beira do canal pelo horário de funcionamento.

Algumas pontes tem campainha (em um poste dentro do canal mesmo). Tá tudo explicado no manual.

Algumas pontes fecham entre 16h e 17h.

No caso dos locks, em alguns casos, é necessário pagar um pedágio para o locker keeper. Não é preciso sair do barco para fazer o pagamento.

 

Bicicletas

Algumas as bicicletas da LocaBoat. Há um local para transportá-las no barco e cadeados para prendê-las.

Nesta marina foi muito fácil atracar.

 

Dicas:

É muito importante ter um celular que funcione ou um chip local para ligar em caso de emergências e , em alguns casos, para se comunicar com as pessoas que abrem as pontes

 

Outros posts da nossa viagem pela Holanda

 

Lembre-se: Brasileiros que vão para Europa precisam fazer seguro de viagem! Um cuidado muito importante para quem viaja com crianças! Aproveite nossa parceria com a Mondial e consulte os descontos oferecidos para leitores do Viajo com Filhos para quem vai para Europa neste link!

 

 

Patricia Papp é mãe do Pedro (13 anos) e da Luiza (8 anos) e ama viajar em família. É autora do livro "Como Viajar com Seus Filhos Sem Enloquecer" e "Praias do Nordeste com Crianças".

Ver meus outros posts

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *