Trapalhadas de Mãe

Atualizado em

Eu sou uma pessoa atrapalhada. Eu tropeço na rua, desligo fios da tomada sem querer, falo com as mãos e derrubo copos na mesa. Justamente por saber como eu sou, tento me organizar muito em tudo o que diz respeito a viagens: faço listas, junto documentos, arrumo a mala com antecedência. Não porque isto é natural em mim, mas porque sei que se deixar para última hora esqueço coisas importantes. Messsssmo assim, uma atrapalhada ou outra acaba acontencedo.

Cadê a mala

Uma vez, quando o Pedro era pequeno, fomos para Camboriu e quando chegamos lá vimos que tinhamos esquecido a mala dele. Depois de passado o momento em que um empurra a culpa para o outro, saímos para comprar o essencial (cuequinhas, um shorts e duas camisetas). Estavamos felizes e contentes fazendo nossas comprinhas (Camboriu é u ESPEtáCULO para roupinhas básicas de crianças) quando encontramos um amigo. Este amigo não tem filhos e é o EXEMPLO de pessoa organizada. Ele NUNCA esqueceria a mala do filho. conversa vai, conversa vem, contamos que estavamos comprando algumas coisinhas pro Pedro porque esquecemos a mala dele. Ele ficou visivelmente chocado (“que tipo de pais são essses que esquecem a mala do filho???”). Até hoje ele fala sobre isto quando nos encontra.

Esta mochila estampada foi a mala de mão que substituiu a que foi esquecida

Cadê a mala – parte 2

Alguns anos depois, quando a Luiza tinha 6 meses, fomos para Disney. (Eu ainda não conhecia a técnica de contar quandtos itens estou caregando). A mala de mão da Luiza, aquela que eu ia carregar no avião por 8 horas, estava completinha: fraldas noturnas, mamadeiras, roupinhas extras, travesseirinho, casaquinho, chupeta, fraldões para possíveis acidentes, lencinhos umidecidos, pomada, antitérmico, termometro, enfim, tudo que uma criança de 6 meses pode precisar durante um voo internacional. Tudo que uma mãe prevenida e que sabe viajar poderia levar para um bebê de 6 meses.
Esta mala ficou em cima da cama.
Provavelmente por culpa minha. Mas de que adianta achar o culpado nestas horas?

Senti falta da mala quando cheguei no aeroporto. Sabe aquelas cenas de familia abrindo mala no meio do sagão? Era eu, tirando roupa da mala que seria despachada para refazer a mala de mão. Depois passamos na farmácia (super equipada rsrs) do aeroporto para comprar os itens essenciais e lá fomos nós.

Tem NAN 2 na Tailândia? E em Dubai??

Quando fui para Tailandia e para Dubai a Luiza já tomava NAN2. Nem passou não levar o leite daqui. Calculei o número de mamadeiras que ela iria tomar e levei MUITAS latas de leite. Na longuissima viagem até a Tailandia, ela não quis saber de comidinhas do avião e eu fiquei dando leite para ela por dias seguidos. Quando cheguei lá, já sabia que o leitei que eu tinha levado não era o suficiente.

Eu estava em Phi Phi, uma ilha sem grandes estrutura longe de tudo. A lingua oficial era a mímica. Comecei a procurar leite em qualquer vendia que eu via, mas é claro que as latas estavam todas escritas em Tailandês e meus conhecimentos de mímica não eram o suficiente. Resolvi deixar para procurar de novo em uma cidade um pouco maior. Encurtando muitas idas a 7/11 acabei encontrando uma lata de NAN 2. Todas as informações estavam na grafia deles menos NESTLE, NAN e 2. Na volta até fiz um post sobre este episodio.

Em resumo, como viajo bastante, muitas atrapalhadas acontecem, doenças antes da viagem, vômitos a caminho do aeroporto, no carro na entrada da cidade, roupas que soltam tinta, mamadeiras e chupetas que desaparecem, pouca ou nenhuma estrutura para crianças, esquecer shampoo, viajar sem fralda (né Roberta), esquecer documentos... acontece com todo mundo né?

15 comentários

  1. Respondercarol garcia

    hahahahaha!

    já esqueci shampoo e sabonete do isaac, pelo que me lembro.
    sempre faço a maa dele e do maridex primeiro, e quando vou fazer a minha já estou cansada e sempre acabo cheia de regatas no inverno ou sem calcinhas pra uma semana, ou com duas blusas de lã e nenhuma calça jeans.

    sim. acontece.

    bjo

  2. ResponderMãe Mochileira,filho Malinha

    Oiiii!! nossa,que sufoco einh!!! rsrsrsrssrsrsrs..
    menina,eu sou tao neurotica que nao esqueço nada..faço um check list umas trocentas vezes..mas meu marido em compensação…affff…n esquece acabeça pq é pregada no pescoço..senão…kkkkkkkkkk..da ultima vez,mes passado..fomos acampar e me encareguei de tduo..menos do colchoete e do travesseiro,que ficou sob responsabilidade dele..nem preciso falar que dormimos no chão duro né???
    :/
    rsrsrs..é a vida…kkkkkkkkkkkk..bjao,otima semana!!! 😉

  3. ResponderKah

    hahahahah
    Acontece, normal.
    A primeira viagem que fiz com a Juh, eu esqueci de levar lenço umedecido. hahaha Em casa sempre limpei ela com algodão e chá, mas é impossível levar isso em uma viagem…
    Coloquei todo o resto, mas os lenços eu esqueci. hahaha
    Foi um caos. Imagina lavar o bumbum de um bebê na pia do banheiro de um posto de gasolina! rsrs
    Beijão!

  4. ResponderPaula Dreger

    Oi Pati,
    Dei boas risadas com seu post!
    Eu sou bem organizada e faço check list e por isso sempre levo o que preciso.
    Mes passado fomos para Orlando e eu nao esqueci nada!
    Um beijao,
    Paula
    OBS: obrigada pelo selinho, mas ainda nao consegui postar, mas logo logo eu posto! Adorei querida!!!

  5. ResponderNine

    Ai guria, sou das suas, esquecida e atrapalhada que só! Mas acho que não encaro tão na boa quanto vc essas dificuldades das viagens! Sou meio estressada e quando os imprevistou acontecem fico meio apavorada, sei lá! Mas vou aprendendo e a prática leva à perfeição, né? Beijos!

  6. Responderlia

    Acontece sim. Uma vez fui deixar minha irmã no aeroporto pra ir pro Canadá. Chegando lá, porta-malas vazio! A sorte é que chegamos cedo e o aeroporto não é muito longe, daí deu tempo de voltar em casa pra pegar a mala. Só que não pensei que o mais esperto seria EU voltar sozinha, já que não ia viajar, e minha irmã ficar esperando no aeroporto. Ficou super apertado, mas deu tudo certo.

  7. ResponderPaloma

    Como vc viu lá no blog, pior que não levar o Nan e não levar o Nan Soy, porque leite de soja não tem em qualquer lugar. Quando ela pôde tomar leite normal foi uma libertação.
    Como eu também sou esquecida, me viciei em listas. Listo tudo e preparo com antecedência. Na hora de sair, faço uma checagem mental. E já reparei que esqueço muito mais coisas em viagens curtas, talvez por não me preocupar tanto.
    Beijos

  8. Responderfernanda

    Pati, por mais descolada e programada que a gente seja sempre tem presepadas em viagens, eu já viajei com um carregamento de papinhas nestlé rolando um sobrepeso porque não vendia papinha industrializada na argentina, correndo o risco de quase ser presa por transportar excesso de comida rs rs rs , entre tantas outras, fala sério…
    a história do Nan eim? putz, já esqueci fralda também e aí nega, vai a que tiver do tamanho que tiver….rs, já quebramos uma cafeteira num hotel que tinha água quente para fazer o leite do david e lá fomos nós encher a pia de hot watter para fazer um banho maria e esquentar o leite do menino….rs rs rs rs são muitas Patti … adorei a parte da mala…. já aconteceu com as minhas duas cunhadas….rs
    Ser mãe é ser infalível, mas como somos humanas, a gente falha, esquece, se atrapalha se enrola e aí o legal é que fica história pra contar! rs rs um beijo querida!

  9. ResponderMariana Della Barba

    Acho que a Paloma que tá certa. A gente tem que viciar nas listas, é o único jeito. Eu era pra tá lá arrumando a mala do theo pra viajarmos no feriado, mas….
    E eu AMO essa história do NAN, me faz pensar no lado bom de ter essas empresas que “dominam o mundo”, sabe? Esqueceu o shampoo e tá na conchinchina? Deve ter um Pantene na farmácia, no supermercado 😉

    bjins, querida!

  10. ResponderCláudia Ramalho

    Pati, acontece com todo mundo.
    como te disse uma vez, já esquecemos as certidões de nascimento, já em voga esse passaporte novo. Perdemos o voo.
    Tb esqueci de levar uma necesseire das meninas. Elas usaram meu shampoo, meu condicionar, meu pente e sabonete. Comprei apenas escovas de dente novas. Emergência, sabe como é?

    Quanto ao leite, aprendi um truque ótimo, não sei se vc usa: eu levava (elas não tomam mais) a quantidade exata de uma mamadeira dentro de saquinhos de plástico. Ocupa menos espaço na mala e não precisa sair medindo na hora de preparar. É só rasgar e pronto. além do mais pdoe ser levado na bolsa de mão.

  11. ResponderLuciana

    Haha! Mas levando a criança é o que importa, né? hahaha

    Olha, eu tenho uma lista permanente de coisas importantes e é muito raro eu esquecer alguma coisa. Mas uma vez, aconteceu de eu esquecer o remédio de refluxo do Nicolas e no final das contas foi a melhor coisa que poderia ter acontecido, pois só assim descobri que ele estava curado!

    Beijos pra vc e sucesso no lançamento do livro no RJ! (pena que estive no Brasil recentemente mais não lembrei de comprar um exemplar!!!)

    Lu

  12. ResponderSimone Lobo

    Oi Pati!
    É a primeira vez que comento, conheci seu blog há umas 2 semanas e amei!
    Pior é esquecer o registro de nascimento do bebê… Meu marido pegou o registro dele ao invés do nosso filhote (com 4 meses na época) e a atendente ficava perguntando: “Marcos é o bebê”? e eu (pensando: que burra) “Não, é meu marido!!!”
    E ela com cara de interrogação até que meu marido fez aquela cara de “fiz @#$da” e peguei o meu registro, ao invés do dele…
    Depois de um breve piti meu, o jeito foi pagar o no-show, voltar pra casa com cara de besta e pegar o vôo da tarde…rs
    Agora é engraçado, o bom mesmo é ter história pra contar!
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *