Férias nas férias dos filhos

Atualizado em

Sempre que eu pude escolher quando tirar férias, optei por viajar na baixa estação, ou seja fora da alta temporada, quando os preços são mais baixos e os aeroportos, as estradas e os pontos turísticos, tem menos filas. Nestes períodos, praticamente no mundo todo, as temperaturas ficam mais amenas. Nem tão frio na Europa, nem tão quente em Buenos Aires, e as paisagens ficam lindas nas primaveras e nos outonos dos hemisférios norte e sul.

Aí meus filhos foram crescendo… entraram na escolinha, começaram a ter lição de casa. Comecei a entender que era melhor eu começar a programar algumas atividades para o período de férias deles, para que eles não ficassem entediados, sem atividade.

Dois anos atrás resolvi marcar uma viagem para o Rio de Janeiro com eles, nas férias de julho. Só que me enganei nas datas e acabamos viajando na última semana de aula, bem aquela mais divertida na escola, e o Pedro não gostou muito. Passei a ser bem mais atenta ao calendário escolar.

Agora o Pedro já tem muita lição de casa e provas quase todas as semanas. Ou seja, acabou-se a farra de viajar quando queremos (e quando é mais barato), agora vou ter que me adaptar as férias escolares, pelo menos quando quiser viajar com eles.

Masssss

as vezes a gente tem que viajar por causa de algum compromisso, como para o casamento da irmã. E daí os filhos tem que ir junto e faltar aula. Então, vou ali e já volto. Cheia de novidades, de dicas novas e descobertas.

Patricia Papp é mãe do Pedro e da Luiza e ama viajar em família. É autora do livro "Como Viajar com Seus Filhos Sem Enloquecer" e "Praias do Nordeste com Crianças".

Ver meus outros posts

3 comentários

  1. ResponderAndré Gomes

    Olá, Pati!

    Meu nome é André, sou pai do João Pedro, de 4 anos, e gosto muito do seu blog. Parabéns! Também tenho andado bastante ocupado na empreitada de educar meu filho neste mundo tão mal educado, politicamente correto e hipócrita em que as crianças estão crescendo falsamente protegidas, sem valores, sem regras e, o que mais me preocupa, sem o menor esforço dos pais em apresentar-lhes ao mundo como ele é e, sobretudo, como deve ser no futuro próximo. Cada vez mais, jogamos a responsabilidade para as professoras da escola. “Elas que eduquem, formem, preparem nossas crianças e nos devolvam prontas para a vida”. É uma mentalidade surreal e, infelizmente, muito comum. Penso diferente sobre isso e, embora nosso filho esteja na escola desde os três meses e meio de idade, a mãe dele e eu nos empenhamos para fazer dele um cidadão de bem, com valores, com caráter e, sobretudo, com muito amor. O Coisas de Mãe é uma das nossas referências nesse sentido. Obrigado e parabéns! Aproveitando, quero lhe fazer um convite: fiz uma espécie de diário para pais politicamente incorretos como eu, com uma série de “lições” para os pequenos, e quero muito compartilhar isso com você. Quando puder, entre lá em http://www.facebook.com/ComoEducarSeuFilho

    Vai ser um prazer receber você lá!
    Um beijão e até já!

    André

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *