Ressaca ou A volta da viagem (com crianças!)

Ressaca ou A volta da viagem (com crianças!)

Atualizado em

Nesses meus  anos de viagens com filhos cheguei a uma conclusão: crianças sofrem muito menos com fuso-horário, jet leg, idas e voltas do que os adultos. Pode ser que outras famílias tenham tido experiências diferentes do que a minha, mas, de forma geral, posso afirmar que, lá em casa, os adultos sentem mais.

Para mim, o maior exemplo, continua sido nossa viagem para Tailândia. A ida durou mais do que 24 horas, chegamos ao meio dia quando para o nosso corpo era meia noite, e já no primeiro dia as crianças acertam seu fuso. Elas não acordaram nenhum dia no meio da noite, e eu acordava as 4, as 5, as 6 da manhã durante quase uma semana.

Desta vez voltamos as 6h da manhã, até chegar em casa eram quase 11h. Como as crianças estavam super dispostas, levei os dois pra escola, achei que isto ajudaria corpo deles a entender o ritmo novo. Ambos voltaram felizes e cheios de novidade da escola, jantaram e foram dormir no horário normal (exaustos, é claro). No dia seguinte acordaram como se não tivessem acabado de voltar de viagem.

Claro, que existem outros efeitos colaterais da volta. As crianças amam passar dias e noites grudados com os pais, tomando café da manhã, almoçando e jantando, passeando e dormindo grudados. Acho que a separação da volta das férias é o grande trauma para eles. Mas, entre idas e voltas, estamos todos bem, uns com mais sono outros com mais fome, mas cheios de novas lembranças!

Patricia Papp é mãe do Pedro e da Luiza e ama viajar em família. É autora do livro "Como Viajar com Seus Filhos Sem Enloquecer" e "Praias do Nordeste com Crianças".

Ver meus outros posts

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *