Dicas de segurança: cuidados com crianças em multidões

Dicas de segurança: cuidados com crianças em multidões

Atualizado em

Praias cheias, piscinas de clubes disputadas, shoppings bombando e parques temáticos com muita aglomeração. Esses cenários têm tudo a ver com final de ano e férias com crianças, não é mesmo? Mas tem outra coisa que eles têm em comum, que é o pesadelo de todos os pais e mães: perder seu filho ou filha em meio a uma multidão de pessoas.

Universal Studios

Parques, praias, shoppings… Onde há multidão, há perigo de criança perdida. Acreditem, pode acontecer com qualquer um!

A receita pra isso acontecer é bem fácil: alguns segundos de distração, o pai acha que a mãe tá olhando e a mãe acha que o pai tá olhando, algo desperta a atenção da criança, e pronto! Começa o desespero. Se acontece com crianças grandes, imaginem com crianças pequenas. Só de pensar, já tenho arrepios. Todo cuidado é pouco, afinal pode acontecer com qualquer um!

Disney Resort

O pai acha que a mãe está olhando, a mãe acha que o pai está olhando… A receita para acontecer não é difícil!

É claro que também não dá para pirar e se trancar em casa até que os pequenos virem grandes. Mas algumas orientações de segurança são sempre bem-vindas. Há um tempo atrás, fiz uma matéria sobre cuidados com crianças em multidões para a Revista Kids In e peguei algumas dicas bem legais com outras mães de famílias viajantes: a Sut-Mie do Viajando com Pimpolhos, a Claudia do Felipe, O Pequeno Viajante, e a Elaine do Viagem Massa.

Veja um resumão aqui. Temos seguido essas dicas sempre que viajamos ou vamos a lugares muito cheios com a Alice. Até hoje, nenhum apuro, ufa!

CUIDADOS BÁSICOS:

  • Conversar com a criança sobre esse tema é fundamental. Adeque o discurso à idade e ao entendimento dela, mas avise sobre a possibilidade disso acontecer.
  • Oriente a criança sobre com quem conversar caso perceba que está perdida. Ao chegarem em um local, mostre quem são os seguranças ou os policiais e que uniforme usam. Marque também um ponto de encontro, seja o portão de entrada em um parque de diversão, o guarda-sol colorido na praia ou um quiosque chamativo na rua.
  • Na praia, não esqueça de reforçar para a criança o perigo de entrar no mar sozinha, devido ao risco de afogamento. Diga para ela nunca os procurar na água, caso se perca.
  • Coloque pulseiras, etiquetas ou crachás de identificação, contendo nome da criança, nome dos pais e telefones celulares. Em viagens internacionais, informe também no crachá que a criança não fala o idioma do país.
  • Vista a criança com roupas bem coloridas e chamativas. Lembre-se de que o branco ou outras cores muito neutras desaparecem na multidão.
  • Com o celular, fotografe a criança antes de sair de casa, assim você terá um registro exato das roupas que ela está usando no dia. Essa informação será muito importante em uma emergência. No desespero, a gente pode esquecer até os detalhes mais simples e óbvios.
  • Quando estiver com mais de uma criança ou em mais de um adulto, coordene antes do passeio quem ficará de olho em quem. É comum os incidentes ocorrerem justamente quando um dos responsáveis acha que o outro está de olho e vice-versa.
Epcot Center

Combinar um ponto de encontro, vestir a criança com roupas de cores chamativas, colocar pulseiras ou crachás de identificação são algumas dicas de segurança.

O QUE FAZER QUANDO A CRIANÇA SE PERDE:

  • Assim que notar o desaparecimento da criança, avise imediatamente a equipe de segurança do estabelecimento, polícia ou salva-vidas (na praia). Nos parques da Disney, por exemplo, os próprios funcionários e personagens são orientados a ajudar caso percebam que uma criança está perdida.
  • Se estiver sozinho(a), peça ajuda às pessoas ao redor. Algumas praias aqui no Sul têm um costume trazido pelos argentinos e uruguaios: quando alguém percebe uma criança perdida, vai andando pela beira da praia batendo palmas e, por onde passa, as pessoas ao redor batem palmas também, para avisar que a criança está ali. Eu nunca vi, mas achei a ideia ótima!
  • Procure não sair do local onde a criança desapareceu, pois ela pode retornar ao ponto de encontro.
  • Faça um boletim de ocorrência o mais rápido possível. Aqui no Brasil, a Lei da Busca Imediata (Lei no 8.069) determina investigação imediata em caso de desaparecimento de criança ou adolescente. Não é necessário esperar 24 horas.

(Fonte: Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas – Polícia Civil do Paraná.)

Rio Quente Resorts

Alice pronta para o parque aquático, com sua pulseira de identificação.

EQUIPAMENTOS OU ACESSÓRIOS QUE AJUDAM:

SOS ID: fizemos essa pulseirinha para a Alice. É muito simples e não custa caro. Você pede pelo site e diz que dados quer incluir. (sosid.com.br)

Guardian: é uma pulseira que se conecta aos smartphones ou tablets e informa, via aplicativo, a localização exata da criança. O aparelho ainda emite um alerta quando ela se afasta de um perímetro determinado pelos pais. (beluvv.com)

Mommy I´m Here Child Locator: o gadget vem com duas peças, uma em formato de ursinho para ser acoplada no sapato ou cinto da criança, outra em formato de chaveiro que fica com os responsáveis. Quando a criança se afasta, basta acionar o botão no chaveiro que o dispositivo na criança emite um alarme sonoro, permitindo localizá-la. (mommyimhere.com)

Tatuagem com os dados da criança: um kit com 6 tatuagens custa R$ 21 (andreia@adsive.com.br)

Tatuagem Infantil de Segurança

Uma “tatuagem” que traz as informações de identificação da criança.

Priscila Seixas é mãe da Alice (4 anos) e é apaixonada pela ideia de levar sua pequena para conhecer o mundo junto com ela.

Ver meus outros posts

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *