Volta ao mundo com filhos: por onde começar?

Volta ao mundo com filhos: por onde começar?

Dar a volta ao mundo com filhos é um sonho maravilhoso de realizar, uma experiência de grande crescimento e formação de vínculo, e como todo grande sonho requer planejamento para funcionar bem.

volta ao mundo com filhos

Assim como viajar com crianças é diferente de viajar só em adultos, viajar por longo prazo é diferente de sair de férias, e por isso diversas variáveis devem ser consideradas antes da empreitada. Por isso, muitas famílias podem se sentir perdidas em como iniciar esse planejamento: por onde começar? Roteiro, orçamento, rotina escolar, saúde?

Para ajudar quem sonha esse sonho como a gente, nesse post coloco os 6 passos iniciais que considero fundamentais para quem deseja fazer essa jornada!

volta ao mundo com filhos

1. Porque vocês querem viajar?

Viajar por viajar (simplesmente porque é uma delícia!) pode até ser a resposta, mas pode também limitar a experiência. Ter clareza das suas reais motivações ajuda a definir o objetivo da viagem e enriquece o roteiro e as experiências que serão vividas. Encontramos viajantes com os mais diversos objetivos: conhecer o maior número de países possível, aprender uma nova língua, melhorar o vínculo com os filhos/cônjuge, fazer cursos ligados a profissão (ou não), buscar inspiração para iniciar uma nova carreira, curar um momento difícil de vida.

No nosso caso, dar a volta ao mundo com filhos tem o objetivo de testar novos estilos de vida e refletir sobre nossas carreiras. Assim, escolhemos destinos com estilos de vida diversos (grandes cidades, comunidades auto-sustentáveis, motorhome, praias, campo, florestas), associados a cursos e novos modelos de trabalho.

2. Quais são os seus recursos atuais?

Avalie as condições financeiras atuais da família, para saber de onde estão partindo: será necessário quitar dívidas antes de iniciar a poupar? Já têm uma reserva, mas precisam de um montante maior para se sentirem seguros? Já têm a reserva necessária?

Nesse passo, é importante considerar também o recurso tempo, pois você pode já ter dinheiro suficiente mas pode não querer sair no meio do período escolar, por exemplo, ou pode ter que esperar o tempo certo para uma melhor saída do trabalho.

3. Por quanto tempo?

Definido o objetivo, o passo seguinte é considerar quanto tempo você precisa para que ele seja cumprido. A maioria das pessoas acaba definindo o tempo pelo orçamento que tem, mas não recomendo fazer isso nesse momento inicial. Parta do quanto tempo você julga que será necessário, pois existem diversos recursos para baratear a viagem, caso você precise economizar para conseguir ficar mais tempo viajando.

Em alguns casos, o limitador da duração pode ser o tempo, como é o nosso caso: não gostaríamos de fazer homeschooling durante a viagem, e por isso temos o tempo limitado em 1 ano, para que nossa filha possa iniciar o 1o ano fundamental no Brasil ou em outro lugar do mundo.

4. Quanto vai custar?

Agora sim, uma vez definidos o objetivo e duração da viagem, é hora de fazer o orçamento. Nesse momento, sugiro fazer somente em ordem de grandeza, ou seja, não precisa saber na ponta do lápis quanto você vai gastar em cada item (hospedagem, passagens, etc), mas somente ter um primeiro número para que você possa ter ideia do quão próximo você está da sua viagem. Para fazer essa conta, recomendo a tabela do site Viravolta.

Importante também considerar que você precisará ter uma reserva para quando voltar da viagem. Caso você seja sortudo de conseguir uma licença não-remunerada e tiver seu emprego esperando na volta, pode pular essa etapa. Mas não sendo o caso, é importante fazer uma estimativa de quanto tempo a família levará para voltar a ter renda, e o valor necessário para cobrir os gastos até que isso aconteça.

 5. Tome coragem para dar a volta ao mundo com filhos! 

Antes, durante e depois de iniciada a viagem, considero esse passo sempre necessário. De início, recomendo entrar em contato com outras famílias que já tenham feito ou estejam fazendo viagens de longo prazo, para tirar as principais dúvidas e compartilhar angústias e aprendizados.

Estar em contato com essa rede de viajantes fortalece a decisão, tanto no sentido de ter mais conhecimento para afastar possíveis medos, quanto no sentido de inspiração para agir com o coração (=coragem!).

6. Marque a data de início!

Sabendo sua condição atual e a ordem de grandeza de seu orçamento, projete em quanto tempo você conseguiria iniciar a viagem, e marque a data! Marcar a data muda o foco da família, engaja as pessoas ao redor, e faz o sonho virar um objetivo.

E se possível, marque com dia, mês e ano! Claro que essa data pode mudar (e provavelmente vai), mas dizer “Vou sair para viajar o mundo com minha família em 2020” é muito diferente de dizer “Um dia vou viajar o mundo com minha família”.

 

volta ao mundo com filhos

Pronto! Com esses 6 passos o sonho começou a ser realizado, e acredite: a fase de planejamento pode ser tão gostosa quanto a própria viagem! Imagino que você deva estar se perguntando: mas e o roteiro, onde se hospedar, onde comer, a escola das crianças? Essas são as perguntas da 2a parte do planejamento, quando você já está com a decisão tomada, e serão todas respondidas no post no próximo mês! Vem com a gente!

 

Luciana é engenheira, aspirante a parteira e atualmente viajante em tempo integral. Desde novembro de 2018 está viajando pelo mundo com o marido Danton e os filhos Liz (5 anos) e Danilo (2 anos). Escreve no BPM-Kids e em seu blog de viagem, Mochilão com Mochilinhas (@mochilaocommochilinhas).

Leia também:

Viagem com bebês: Olivia de 9 meses já viajou para 13 destinos 

1 ano de vida e 22 viagens 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *