10 DICAS PARA MELHORAR A FILMAGEM DAS SUAS FÉRIAS

10 DICAS PARA MELHORAR A FILMAGEM DAS SUAS FÉRIAS

Atualizado em

Hoje é a Ana, da websérie “Ases a Bordo”, que dá dicas para o “Eu Viajo Com Meus Filhos”. A Ana é expert em videos e vai nos dar dicas de como fazer bons filmes durante nossas viagens em família! 
Nós fizemos alguns trabalho juntas, na época eu estava grávida
do Pedro. Agora nos reencontramos neste outro universo das viagens com filhos. A Ana criou a  série “Ases a Bordo” que mostra a convivência da sua família durante as viagens de férias. Os episódios (semanais) tem até 5 minutos e vão ao ar às quinta-feira no Youtube. O primeiro episódio, que conta como tudo começou, teve mais de 3 mil visualizações em menos de uma semana. Vale a pena conferir clicando neste link
do canal “Ases a Bordo”
 

Eu sou apaixonada por imagem, principalmente imagem em movimento. Deve estar no sangue, pois meu pai sempre filmou muito a nossa infância. Hoje sou muito grata a ele, pois, depois de adulta, posso matar a minha curiosidade em saber como era minha voz quando eu era pequena, o que eu pensava, me ouvir cantando minhas músicas favoritas, enfim, coisas que não se consegue com uma foto. E é por isso que, quando saímos de férias, sempre filmo muito mais do que fotografo.

Ao longo de 10 anos trabalhando como editora de comerciais de TV, pude aprender com excelentes diretores o que torna uma cena boa e o que devemos evitar. Sem entrar muito em detalhes técnicos, vou compartilhar aqui algumas dicas para que os vídeos das suas férias fiquem mais bonitos.

 

1. Eleja o que será o foco principal da sua cena. Pode ser uma pessoa, um monumento ou um objeto. Definido isso, evite enquadrar esse objeto, por exemplo, no centro do quadro. A composição fica mais harmoniosa se você gravá-lo no canto direito ou esquerdo, além de mostrar melhor a paisagem ao fundo.

2. Se você vai gravar uma criança, procure abaixar-se, deixando a câmera na altura dos olhos dela. Ela vai se sentir mais a vontade para falar sem precisar ter que olhar para cima e o enquadramento ficará bem melhor.

3. Grave somente o que for relevante, cenas longas são chatas.
Se você está visitando um ponto turístico, aperte o rec apenas quando
souber o que gostaria de assistir quando for recordar a viagem. Muitas
pessoas saem gravando tudo que veem, sem planejar, inclusive o caminho até chegar lá.
4. Lembre-se que as situações espontâneas sempre são melhores. Não avise ninguém que você começou a gravar. Muita gente, principalmente os pequenos, ao escutar “Estou gravando hein!” começa a posar como se fosse para uma foto. A linguagem do vídeo é dinâmica, ligamos a câmera e deixamos as coisas acontecerem.

5. Tente evitar movimentar a câmera, como nas panorâmicas (movimento que vai da esquerda pra direita), ou caminhar com a câmera na mão. Ninguém tem a firmeza de um cameraman profissional ou vai levar um tripé na sua viagem de férias. A chance da sua cena sair tremida, ou muito rápida, causando náuseas em quem vai assistir depois, é muito grande.

6. Usar o zoom, aproximando a cena, é algo que eu desaconselho.
Junto ao vai e vem, está a falta de estabilidade na imagem. Se você
quiser usar esse recurso para fazer um close-up, pare de gravar, acione o zoom e volte a gravar já com o objeto aproximado. Tente apoiar seus
cotovelos numa superfície, como uma mesa, evitando que a imagem fique tremida.


7. Pensar na luz é algo importantíssimo. Se você gravar contra o sol, só verá a silhueta das pessoas. Se você gravar a favor do sol, terá o conhecido efeito “sol na cara” que deixa as pessoas sofrendo com os olhos enrugadinhos. Posicione a câmera e as pessoas em um ângulo que favoreça ambos. Não esqueça de observar o fundo. Ninguém quer aquela cena clássica do poste “saindo” da cabeça de alguém, né?

8. Lembre-se que o vento é inimigo de um áudio bom. Ninguém vai entender o que uma pessoa está falando, se o som do vento for mais alto. Evite ficar contra o vento quando estiver gravando em lugares como praias, dunas, desertos ou mesmo cidades com muitos prédios.

9. Gravar gasta muito mais bateria do que fotografar, pois a câmera fica ligada por mais tempo. Sempre deixo o carregador na bolsa. Assim, naquela hora que vamos almoçar, ou quando ficamos por muito tempo numa loja, peço uma tomada emprestada. Se você tomar gosto pela brincadeira de gravar suas férias, comprar uma bateria extra pode ser um ótimo investimento.

10. As dicas anteriores não adiantam nada se você não guardar com carinho as imagens que gravou. Copiar seus arquivos, logo que você chega em casa, em um HD externo é uma boa maneira de salvar suas gravações e não lotar o seu computador. Arquivos de vídeo podem ocupar muito espaço. Eu, que sou exagerada, comprei dois HDs externos. Copio tudo nos dois. Um deixo em casa e outro na casa da minha mãe. Caso um dia alguém roube minha casa, ou, imaginando o pior, que ela pegue fogo, terei sempre outro backup.




Ana é casada com o André e é mãe do Alex e da Alice. www.facebook.com/asesabordo
Veja os vídeos aqui “Ases a Bordo”



Leia listas bacanas para inspirar mais viagens:
 

5 atrações de dinossauros para ver com crianças

5 restaurantes para ir com crianças em Paris

7 piscinas mais legais de Orlando

5 tipos de viagens com crianças

Filmes para assistir e viajar com crianças

5 melhores museus para crianças pelo mundo

10 quartos de hotel mais divertidos do mundo 

Hotéis que ficam nas árvores

Os melhores zoos da Europa 

Hotéis de praia com crianças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *