Roteiro de Lisboa em 4 dias

Roteiro de Lisboa em 4 dias

Lisboa é uma cidade linda e um ótimo destino de férias para a família! Como moro aqui recebo muitos parente e amigos, já fizemos roteiros turísticas por Lisboa com os primos, avós, tios… enfim, passeios para todos os gostos e idades.

Este é um roteiro de Lisboa em 4 dias para inspirar quem está vindo pela primeira vez à cidade!

Lisboa

1º DIA

Para começar uma das lindas vistas da cidade de Lisboa: o mirador do Parque Eduardo VII, com a praça Marques de Pombal, a avenida da Liberdade e o rio Tejo ao fundo. Descemos pelo meio do parque em direção à praça Marques de Pombal. Se houver crianças no grupo, vale a pena parar para brincar no parquinho do parque Eduardo VII, fica à direita de quem está de frente para o rio. Para os apaixonados por plantas, uma visita à Estufa Fria também é muito interessante.

20150330_153240

Parque Eduardo VII

V_IMG_20141023_183551

Mirador do Parque Eduardo VII

Chegando à praça Marques de Pombal continuamos descendo pela, arborizada, Av. da Liberdade. Um passeio gostoso e, se for final de semana, tem feirinha de antiguidades. Durante a semana, e para quem gosta de “ir às compras”, ali estão as lojas das grifes mais conhecidas.

Caminhamos pela avenida até o Monumento dos Restauradores. Ao redor desta praça estão: o Elevador da Glória e a Estação do Rossio, uma estação de trens que é lindíssima e vale a pena entrar para dar uma olhadinha. O primeiro é um funicular que, pagando 3,60€, faz o curto trajeto entre a Baixa e o Bairro Alto. Pessoalmente, acho caríssimo! O percurso de 265 metros (de uma rua com muita pendente, é verdade) pode ser feito à pé pelo mesmo caminho do funicular ou pelas ruas adjacentes que não têm uma inclinação tão acentuada.

Neste ponto, a fome bateu e estivemos entre as duas ótimas opções de restaurantes pela zona: o Solar dos Presuntos e o Gambrinus (ambos super tradicionais de Lisboa). Fomos ao Gambrinus onde adoramos ficar na barra do bar (o restaurante tem dois ambientes: a barra, mais descontraída, e a zona de mesas, mais formal). O “prego” (sanduíche de pão com fillet mignon) e o “prego no prato” do Gambrinus são deliciosos! Para quem gosta de café, lá eles têm um bem especial.

Pertinho destes restaurantes está o Hard Rock Café de Lisboa para os amantes das ribs e burguersamerican style”.

Continuando o passeio e deixando o Monumento dos Restauradores para trás passamos pela Estação do Rossio, à direita, e pelo Teatro D. Maria II, à esquerda e seguimos pela praça Dom Pedro IV. De costas para a praça, à esquerda, está a Confeitaria Nacional conhecida pelos doces, bem doces, portugueses.

A partir deste ponto, até a praça do Comércio, estamos bem no meio da Baixa Pombalina…rua da Prata, Áurea, Augusta, … nestas ruas estão misturadas lojas centenárias e familiares com Zara, H&M, entre outras.

Na rua Áurea com a rua de Santa Justa está o Elevador de Santa Justa, uma estrutura metálica, inaugurada em 1902 que ainda leva passageiros da Baixa ao Largo do Carmo nas suas cabines de madeira.

IMG_3376No final da rua Augusta estão o “Arco da Rua Augusta” (1875) e a praça do Comércio. Chegamos ali por volta das 5 da tarde, nosso objetivo, para poder fazer o resto do percurso, até o Mercado da Ribeira, vendo o por do sol.

V_20160910_153939_HOR

Praçado Comércio vista desde o rio Tejo

Os edifícios da praça do Comércio são utilizados por departamentos governamentais, atividades culturais e promocionais, hotéis, restaurantes e cafés. É num dos edifícios da praça que se encontra o famoso café Martinho da Arcada (entrando na praça pela rua Augusta, este Café fica à esquerda embaixo das arcadas), o mais antigo de Lisboa, e também um dos preferidos de Fernando Pessoa.

Evitamos sempre os cafés e restaurantes da praça do Comércio…já experimentamos vários e não gostamos de nenhum…ou demoram, ou a comida poderia ser bem melhor, ou são “overpriced”, …enfim sempre que podemos escolhemos outros restaurantes.

Da praça do Comércio seguimos passeando pela margem do rio, que foi revitalizada há poucos anos, e é um lugar delicioso para andar no final da tarde. As crianças correram pelos jardins no caminho e brincaram no parquinho do Jardim Dom Luís antes de jantar no Mercado da Time Out, antigo Mercado da Ribeira.

Passeio pela margem do rio Tejo aproveitando as atraçoes locais

Passeio pela margem do rio Tejo aproveitando as atraçoes locais

Este Mercado foi reabilitado há uns 3 anos e reúne restaurantes dos melhores chefs da capital. Há vários restaurantes lado a lado e uma grande área central com mesas comunitárias. Para os que preferem privacidade, o Mercado também conta, no andar superior, com o Pap’Açorda, um conhecido restaurante de Lisboa.

Outra excelente opção para jantar é o restaurante Sala de Corte, com uma qualidade de carnes que é difícil encontrar por aqui.

Para quem quiser dar uma olhada na nossa rota do 1º dia é só clicar aqui.

2º DIA

Depois da maratona do 1º dia, ficamos exaustos e, além disto, só passeamos por zonas pouco “kids friendly”, no 2º fizemos programas mais infantis.

Então resolvemos ir ao Parque das Nações. Começamos pela visita do Pavilhão do Conhecimento (fiz um post detalhado sobre este museu para os pequenos aqui). Depois passeamos pelo parque do Passeio dos Heróis do Mar que, se o dia estiver ensolarado, é um ótimo lugar para um piquenique. Se estiver frio ou chovendo há algumas opções de restaurantes bem pertinho; uma delas é o Honorato Rio, que serve hambúrgueres deliciosos, e está no caminho para a próxima parada: o Oceanário de Lisboa. Como não tínhamos tido tempo de preparar o piquenique, ficamos com os hambúrgueres.

O Oceanário de Lisboa é lindo e agrada a todos! A visita é quase obrigatória para os que viajam com crianças. Tem um post bem completinho sobre o Oceanário aqui. E não deixem de ir à exposição temporária “Florestas Submersas”, é demais! Kai já foi várias vezes, pois cada vez que temos visitas com crianças, todos querem ir, e ainda assim fica maravilhado com os tubarões e raias gigantes!

Para acabar o dia com chave de ouro fomos jantar no Laurentina, O Rei do Bacalhau. Para nós, um dos melhores bacalhaus da cidade. Lá é possível experimentar as inúmeras formas de preparo do bacalhau na cozinha portuguesa e, todos são ótimos. Só de pensar no “Bacalhau com Natas” (bacalhau desfiado com molho branco e espinafres) ou no “Bacalhau à Braz” (bacalhau desfiado com batata palha e ovos) dá água na boca!

Para quem quiser dar uma olhada na nossa rota do 2º dia é só clicar aqui.

V_IMG_3127  V_IMG_3022IMG_0696IMG_3003

3º DIA

No 2º dia fazemos uma ponta da cidade, o Parque das Nações, e no 3º, a outra: Belém. Pegamos o elétrico 15E desde a praça do Comércio e paramos nos Pastéis de Belém para tomar café da manha. Começando o dia por ali evitamos as enormes filas que se formam durante o dia nesta confeitaria e já saímos com energia total para as atividades!

Dalí, fomos ao Monastério dos Jerônimos (hora de abertura 10:00 horas). Aqui existem duas opções: visitar o monastério e a igreja ou somente a Igreja. A visita completa é linda, porém demora umas 2,5 horas. Nós visitamos somente a Igreja porque os adultos do grupo já conheciam o Monastério.

Depois da visita levamos as crianças para brincarem um pouco no parque bem na frente dos Pastéis de Belém.

Depois fomos ao Museu dos Coches, do arquiteto brasileiro Paulo Mendes da Rocha. Este museu é pequeno, mas muito interessante. As carruagens estão extremamente bem conservadas e valem a visita. Ficamos dentro do museu 1,30 hora aproximadamente.

Depois do museu, cruzamos a ponte que está justo no frente deste edifício fomos almoçar no restaurante Darwin’s Café (está depois do monumento Aos Combatentes do Ultramar que fica ao lado da Torre de Belém). O espaço é lindo e conta com algumas mesas exteriores que tem vistas lindas do Tejo e da ponte 25 de Abril.

V_IMG_0773

Para fazer a digestão do almoço caminhamos de volta à Torre de Belém e ao monumento do Padrão dos Descobrimentos.

V_IMG_20150615_165759

Dalí, pegamos um tuc-tuc (há muitos pelas zonas turísticas) e fomos ao Castelo de São Jorge. Chegamos ao Castelo um pouco antes das 17 (fecha às 21 horas no verão 18 no inverno). A visita às ruínas do Castelo é bacana e as vistas desde os jardins são lindíssimas, mas o mais interessante é visitar a Sala Escura na Torre de Ulisses. Lá é possível ver a apresentação das imagens captadas, em tempo real, pelo periscópio, refletidas num espelho e projetadas numa mesa redonda para que todos possam apreciar Lisboa e seus monumentos. É muito bacana! As visitas são a cada 30 minutos entre as 10 e as 17 horas, algumas em português e outras em inglês, e não são reservadas, tem que entrar na fila na porta da Torre. No verao também tem algumas apresentações de cinema/projeções nas muralhas do Castelo.

Castelo de Sao Jorge

Castelo de Sao Jorge

Vistas dos Jardins do Castelo de Sao Jorge

Vistas dos Jardins do Castelo de Sao Jorge

Do Castelo descemos até o Mirador das Portas do Sol para apreciar as vistas do Panteão e da Igreja de São Vicente de Fora.

V_IMG_3128

Vistas do mirador Portas do Sol

O bairro de Alfama, onde está o Castelo de São Jorge, é conhecido pelas inúmeras casas de Fado, como estávamos com crianças não fomos a nenhuma. Pela zona de Alfama ou vamos ao Malmequer Bemmequer, comer bacalhau, ou vamos ao Faz Figura (um pouco mais arrumadinho). Durante o verão também está o Páteo 13 que serve peixe grelhado em mesas familiares na rua.

Dica: ainda que este bairro seja conhecido pelas casas de Fado, uma das melhores não está nesta zona e sim no bairro da Lapa: Sr. Vinho. A comida é ótima e o fado, para quem gosta, também. É preciso fazer reserva.

Como tínhamos jantado bacalhau nos dias anteriores, resolvemos ligar para ver se havia mesa no Insólito, em frente ao mirador de São Pedro de Alcântara no Príncipe Real. Para a nossa surpresa, lá estava uma mesa esperando por nós! Este restaurante não é muito baby/kids friendly, mas gostamos tanto da comida que sempre voltamos (recomendações: tártaro de novilho, pastéis de polvo, carré de borrego (incrível!) e risotto de veado. Todas as sobremesas são boas). Além disto, as vistas sobre a baixa são incríveis. O único é que, para estar nas mesas da parte de fora, tem que ser um dia quente senão faz muito frio.

Vista desde o mirador de Sao Pedro de Alcântara para o castelo de Sao Jorge

Vista desde o mirador de Sao Pedro de Alcântara para o castelo de Sao Jorge

Antes de ir para casa, e com as crianças dormindo nos carrinhos, passeamos um pouco pelas ruas do Bairro Alto só para mostrar um pouquinho do lado boêmio de Lisboa aos amigos.

Para quem quiser dar uma olhada na nossa rota do 3º dia é só clicar aqui.

4º DIA

Este foi o “escolhido” para as compras…começamos o dia no bairro do Chiado, passeamos pela rua Garret e arredores.

Como não podia deixar de ser, passamos pelo café A Brasileira e comemos um pastel de nata na Manteigaria, no largo Camões. Neste lugar os pastéis de nata saem quentinhos do forno e, a cada fornada nova, tocam um sino para avisar que “o pecado já está ao lado”.

Depois nos dividimos: uns foram ao El Corte Inglés (loja de departamentos espanhola que atrai muitos turistas porque, além de ter muita coisa, faz o TaxFree de maneira fácil e rápida) e os outros foram ao Jardim e Basílica da Estrela (elétrico 28 do Largo de Camões direto ao Jardim da Estrela).

IMG_20150323_093517

Fizemos a visita à Basílica e a cúpula, que é lindíssima! Depois fomos com os pequenos ao Jardim da Estrela que, na verdade, é um parque que eles adoram! Tem laguinho, brinquedos, espaço para correr, … Como já estávamos ali, resolvemos comer um sanduíche no quiosque, “O Jardim da Estrela”, de dentro do parque mesmo e assim as crianças brincaram mais tempo.

V_20140904_190604

Basílica da Estrela

V_IMG_0702

Cúpula da Basílica

O pessoal “das compras” foi do El Corte Inglés para o bairro de Campo do Ourique que está cheio de lojinhas, muitas delas com artigos de proximidade, para acabarem as compras (tem algumas dicas de lojas para crianças neste post). Nós saímos do parque e fomos ao Museu da Carris. Bom, este museu é a loucura de Kai!!! Já perdi a conta das vezes que fomos e ele não enjoa! O museu conquista os pequenos porque eles podem subir e descer de trens, ônibus e elétricos antigos e novos, veem máquinas, tocam buzina, enfim, uma grande festa. O único “senão” é que este museu fecha às 18 horas.

Se depois da visita bater uma fominha, nos fundos do terreno deste museu está o Village Undreground (fiz um post explicando alguns restaurantes e este está aqui) e é possível fazer um lanchinho dentro de um ônibus coisa que, nem preciso dizer, encanta aos pequenos.

No final da tarde nos juntamos todos e fomos dar uma volta no LX Factory, um complexo industrial que, pouco a pouco, está se transformando e tendo seus espaços utilizados por escritórios, lojas, restaurantes e serviços. Um lugar bem bacana. Fiz um post sobre este lugar, para lê-lo é só clicar aqui.

Para jantar fomos ao Malaca Too, dentro do LX Factory. Este restaurante asiático tem as mesas no meio de uma grande máquina que, em outros tempos, produzia os jornais vendidos em Lisboa. O lugar é super interessante e a comida deliciosa.

Para quem quiser dar uma olhada na nossas rotas do 4º dia é só clicar rota museus e rota compras.

Bom, assim acabamos 4 dias de maratona por Lisboa. Alguns lugares que não fomos, mas que recomendo para quem já conhece os principais pontos turísticos são: Museu da Eletricidade, Jardins da Gulbenkian, Jardim Zoológico (fiz um post sobre o zoo aqui), o parque da Quinta das Conchas e alguns outros parques que estao neste post e fazer um passeio de barco (fizemos com a Marlin Tours e adoramos!) pelo Tejo que é lindíssimo!

Alguns restaurantes que nao visitamos com estes amigos coloquei neste post.

Dicas práticas de Lisboa

  • Existe o Lisbon Card que dá direito a transporte público, entradas de museus e descontos em algumas atividades. Se nao for para visitar vários museus e pegar transporte público para tudo, talvez nao seja um bom negócio.
  • O transporte público é pago ou em dinheiro, para o motorista, ou com um cartão (7 Colinas ou Viva Viagem)  comprado e recarregado em bancas de jornal ou em pequenas papelarias onde também vendem cigarros. O tempo de espera está colocado, normalmente, em um painel na parada do ônibus; se nao tiver este painel é só mandar uma mensagem (desde um celular português) para 3599 digitando C+espaço+código parada (está colocado numa plaquinha em cima das paradas).
  • O Uber funciona muito bem em Lisboa.
  • Colocar carrinhos de bebes nos elétricos não é uma tarefa fácil e ainda ouviram reclamações dos motoristas e passageiros. Se o trajeto for curto, vale a pena caminhar, e se for longo pegar um Uber ou ônibus.
  • É melhor comprar todas as entradas de monumentos e museus online nos respectivos sites de cada lugar. Alguns como Torre de Belém, Jerônimos, entre outros, têm entradas combinadas que saem um pouco mais econômicas. Nos primeiros domingos de cada mês os museus têm entrada franca.

Veja outros posts de Portugal:

Ana, mãe do Kai de 3 anos e da Noa de 2 meses. Arquiteta, mãe e passageira, seja para onde for a viagem. Ela adora viajar em família e mostrar diferentes países e culturas aos seus pequenos.

Ver meus outros posts

4 comentários

  1. ResponderCelia

    Ana,
    Poderia me dar dicas de lugares legais a visitar em 4 dias de Lisboa com meninos de 10 anos? Eu não queria fazer um roteiro somente para adultos. Viajo amanhã para Lisboa e Porto com meus filhos de 10 e 11 anos. Ficaremos no Rossio e temos um carro alugado. Será a primeira vez deles na Europa e já conhecem aquário, como o Sea World. Obrigada.
    Celia


    1. Autor
      ResponderAna Pagliuso

      Oi Celia! Acho que nesta idade vão curtir as praias da Costa da Caparica (nós adoramos Fonte da Telha e a Praia da Princesa) e Carcavelos, Peniche, Super Tubos (muito surf e kitesurf). Tem uma exposição de Van Gogh e dos Guerreiros de Xian na Cordoaria Nacional muito bacana com projeções dos seus quatros e música, bem interessante. Outra exposição bacana é a Cosmos Discovery que está montada ao lado do Museu da Eletricidade.
      Como o tempo está ótimo vocês podem alugar um barco e fazer um passeio pelo Tejo ou ir até o outro lado do rio. A informação está neste post.
      Outra opçao que talvez seja interessante para eles é fazer um tour com a Little Lisbon. Eles têm tours sobre medida com jogos para as crianças. Escrevi sobre eles aqui.
      Depois contem como foi!
      Boa viagem para vocês!

  2. ResponderJULIANA

    Olá Ana,
    Vou à Portugal no dia 23 de Fevereiro 2018, sei que não é o melhor período por contas do frio e chuva, mas infelizmente, é a única época que conseguimos férias. Tenho uma filha de terá 1 ano e 9 meses. Você acha arriscado não aproveitarmos nada por causa do inverno? Estou bastante receosa….
    Obrigada!!!!
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *