Bélgica com crianças e adolescentes

Bélgica com crianças e adolescentes

Incluímos a Bélgica no roteiro da nossa última viagem a pedido do Vicente, meu filho, de 14 anos. Ele fez a árvore genealógica da família e descobriu que os ancestrais eram belgas. Ficou curioso para saber como era o país. Depois, leu sobre o os waffles (vendidos em todo o canto), a produção de chocolate e lá fomos nós.

Como chegar em Bruxelas (Bélgica)

Saímos de Londres (nossa primeira parada) de trem (Eurostar) e cerca de duas horas depois estávamos na Estação Brussels Midi. Como a imigração já havia sido feita em Londres, ao chegar em Bruxelas, é só pegar as malas e sair do trem em direção ao metrô. Uma dica: é possível incluir o trecho do metrô para qualquer estação dentro de Bruxelas na hora de comprar o ticket do Eurostar, para isso, basta selecionar a opção “Any Belgian Station”.

Pegamos o metrô até a Estação Central que fica bem pertinho da Grand Place (um dos lugares mais bonitos e visitados de Bruxelas) e pertinho do nosso hotel.

Hospedagem

Há muitas opções de hotéis nessa região, a escolha depende apenas de quanto você pretende gastar com hospedagem. Selecionamos o nosso pelo Booking e optamos por um apartamento para ter mais espaço e, também, porque gostamos de comprar comidinhas no mercado para fazer à noite, depois de um dia de caminhada.

 

Quantos dias em Bruxelas e na Bélgica?

Ficamos quatro dias na cidade. Como era nossa primeira vez na Bélgica, optamos por passar mais tempo que nos outros destinos do nosso roteiro (que incluía Londres e Paris).  Tempo mais que suficiente. O ideal é reservar de dois a três dias em Bruxelas para ver tudo com calma, principalmente se você for com crianças.

Com quatro dias recomendo pegar um trem e fazer um bate e volta a cidades próximas e lindas, como Bruges, por exemplo. Desta vez, ficamos apenas em Bruxelas. Nas nossas viagens gostamos de ficar mais livres para conhecer a cidade sem ficar presos a roteiros. Mas, fomos a alguns lugares que talvez você queira conhecer na sua ida à Bélgica. Veja alguns deles e conheça algumas curiosidades que descobrimos em Bruxelas:

 

O que fazer em Bruxelas

Grand Place

O local é o centro da cidade antiga e tem a forma de um retângulo onde fica um conjunto de edifícios de arquitetura impressionante, como a Prefeitura ou a Casa do Rei. Como nosso hotel ficava pertinho, passamos pela Grand Place várias vezes. À noite o cenário é ainda mais fascinante. Isso, porque a iluminação valoriza a fachada dos prédios e as fotos ficam lindas!

O lugar é cercado por restaurantes de várias nacionalidades e a variedade de opções é enorme, o que facilita (e muito!) a escolha para quem viaja com crianças de qualquer idade. Há comida de todo tipo: massas, carnes, lanches, doces.

Sem contar que é uma delícia sentar e ficar olhando o vai e vem de pessoas das mais diversas nacionalidades que vão a Bruxelas.

 

Atomium

Um dos pontos mais conhecidos de Bruxelas é, também, o mais estranho. A construção, de 1958, é uma escultura imensa e conta com nove esferas de aço conectadas por grandes tubos de metal. O passeio vale pela vista. Você pode entrar e subir até a esfera mais alta. Lá de cima se tem uma das mais belas vistas da cidade. Nas outras esferas funcionam um restaurante, exposições e uma loja de souvenirs. A exposição que visitamos era de uma companhia aérea de Bruxelas e contava a história da aviação com fotos e objetos que mostram como eram as aeronaves e o serviço de bordo.

Serviço

Preço do ingresso para o Atomium:

Adultos: 12 Euros

Crianças com até 6 anos não pagam

Crianças (6 a 11 anos): 6 Euros / Adolescentes (12 a 18 anos): 8 Euros

 

Minieuropa

Fica bem ao lado do Atomium. É um dos principais parques de miniaturas do mundo e conta com réplicas de pontos turísticos da Europa como, por exemplo: a Torre Eiffel (Paris) ou o Coliseu (Roma).

Alguns monumentos são interativos – ao apertar um botão, é possível mover as gôndolas de Veneza, reproduzir parte da queda do Muro de Berlim.

 

Preço do ingresso para a Minieuropa:

Adultos: 15,30 Euros

Crianças com até 12 anos não pagam

Crianças maiores de 12 anos:  11,40 Euros

 

É possível comprar o combo para visitar Atomium e Minieuropa.

Preço do combo:

Adultos: 24,70 Euros

Crianças com até 12 anos: 16,60 Euros

Crianças (12 a 18 anos): 21,80 Euros

 

Manneken Pis

É um dos símbolos mais representativos de Bruxelas. O Manneken Pis é uma estátua bem pequeninha (cerca de 50 centímetros) que representa um menino fazendo xixi na pia de uma fonte. Ela fica em uma esquina, na parte antiga de Bruxelas, entre as ruas L’Etuve e Chene, perto da Grand Place. Quando chegamos lá, o Vicente automaticamente fez a pergunta: “Só isso? ”. É que a estátua é realmente muito pequena e, mesmo assim, atrai muita gente. Como fica em uma esquina, o acesso é livre.

 

Waffles e chocolates:

Bruxelas tem vários pratos típicos como o mexilhão ou a carne refogada na cerveja, tudo acompanhado por batata frita. Mas, os doces são uma atração e tanto. O chocolate belga é famoso e as lojas estão espalhadas pela cidade inteira – das mais simples às mais sofisticas, a variedade de opções impressiona (o chocolate meio amargo com canela é incrível). Além disso, os waffles também conhecidos como guares, espalham aquele cheirinho de massa doce pelas ruas.  Os recheios incluem chocolate belga, Nutella, e chantilly com morango.

As barracas de waffles estão por toda a cidade e os preços variam de 1 a 3 euros, cada.

Horário

Embora os belgas costumem almoçar e jantar cedo, os horários dos restaurantes estão muito adaptados ao turismo e é comum encontrar os lugares abertos até mais tarde, especialmente ao redor da Grand Placa. O que nos chamou a atenção é que o comércio em geral fecha às 18 horas e, se você estiver no meio das compras é interrompido pelo vendedor que explica que a loja vai fechar. E fecha mesmo! A primeira coisa que o Vicente disse foi: “Mãe, eles precisam viver”. E vivem, muito bem!

 

 

Enfim, Bruxelas é uma cidade encantadora, segura, com muitas opções de passeio e que merece estar no roteiro de quem visita a Europa com os filhos.

 

Lucia é jornalista e mãe do Vicente de 14 anos

 

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *