St Barth com bebê

St Barth com bebê

Já imaginou água cristalina do Caribe, praias paradisíacas de areia branca, com cultura, idioma e culinária predominantemente franceses? Pois é, St Barth, ou então Saint Barthélemy, tem essa combinação. Além disso, tem centrinho charmoso pra passear, muitas lojinhas e lojonas, beach clubs e restaurantes incríveis. É chique, mas é rústico e despretensioso ao mesmo tempo. E é por isso e muito mais que St Barth é um dos meus destinos de praia favoritos.
 
Eu e meu marido já tínhamos ido 2 vezes para St Barth e pela minha experiência na ilha, não imaginei que um bebê seria tão bem vindo como foi nossa estadia com a Olivia. Nossa viagem foi meio “the flash”… Ficamos 3 noites em St Barth, tivemos que dormir uma noite em St Marteen e finalizamos com 2 noites em Miami antes de voltar para casa. Foram 6 noites e 7 dias muito bem aproveitados!


Hotéis:

Escolhemos um hotel pé na areia, o Le Guanahani, o que facilitou muito pois a praia em si já é uma super distração para a criança. E para a nossa surpresa, a maioria dos hotéis na ilha aceitam bebês e crianças. O Le Guanahani fica em uma das regiões mais belas, o Le Grand Cul-de-Sac.

O hotel disponibilizou berço, aquecedor de mamadeira e banheira no quarto. O restaurante e room service foram muito atenciosos com a Olivia e prepararam comidas para ela como hambúrguinho de carne grelhada, peixe assado, verduras no vapor, purê de batata, arroz. No café da manhã tinha uma grande variedade de frutas, pão integral e ovo mexido, tudo que ela adora.

Todo final de tarde recebíamos a visita de jabutis na varanda do nosso quarto e a Olivia se divertia muito com eles. Mas cuidado que eles mordem!

Nessa viagem a alimentação da Olivia foi muito mais fácil, devido ao ótimo atendimento do hotel e a maioria dos restaurantes que frequentamos disponibilizarem Kids Menu. Ela estava com 11 meses e já estava comendo quase tudo que nós comemos, então já facilita muito! Para bebês em introdução alimentar, escrevi esse post com algumas dicas aqui.

Outros hotéis incríveis que indico: Le Sereno, Cheval Blanc e Chistopher. Ou alugue uma villa, existem muitas opções bacanas na ilha!

Restaurantes:

Na maioria dos restaurantes que frequentamos, os funcionários foram atenciosos com a Olivia. Ofereciam cadeirinha, comida “especial” pro bebê e nos deixaram tranquilos. Nossos favoritos foram:

L’isoletta: jantar descontraído à noite, com crianças! Do mesmo dono do L’Isola, mas muito mais descolado e kids friendly. Aqui o forte é a pizza que vem por metro. A cada metro você pode escolher 3 sabores e eles vem em quadrados e não “fatias”. Os 3 que provamos eram deliciosos: marguerita, quatro queijos e cogumelos trufados! Fica em Gustavia, no centro da cidade, uma curta distância do porto. Endereço: Rue du roi Oscar II

Cheval Blanc: o Cheval Blanc é um hotel com clube de praia na Baie des Flamands. O restaurante La Case de L´Isle para almoço com vista para o mar é muito agradável e a comida é sensacional. Comemos muito bem e Olivia adorou ir pra praia depois.

Sand Bar: esse é um dos meus programas favoritos para o almoço e não imaginava que bebês são tão bem recebidos aqui. Ele fica no hotel Eden Rock, um dos mais antigos e famosos da ilha, com vista para a praia. O Menu é do Jeans Jacques e eles disponibilizam menu kids. A Olivia ganhou cadeirão para criança e giz de cera com caderno de pintura para colorir durante o almoço. Foi super fácil! O hotel fica na baia de St Jean, que é lindíssima, e da pra curtir um pouco da praia que é muito bonita. O menu varia todo dia, mas dos pratos fixos adoro a salada de tomates, manga, abacate e jalapão, a salada de quinoa, as pizzas e o Mahi Mahi assado. O purê de batata trufado também vale a pedida! O aeroporto fica ao lado e a Olivia se divertiu vendo os aviões decolarem tão perto.

O JoJo Burger é tradicional de St Barth. Uma biboquinha bem simples, mas serve o melhor cheeseburger da ilha. Lugar sem frescura pra comer um junk food sem perder muito tempo.

O Hotel Le Toiny também e uma opção deliciosa e agradável para almoço e jantar, com vista de camarote para o mar.

O Bonito e L’Isola são restaurantes maravilhosos para jantar, mas não indico tanto para bebês, quem sabe para crianças maiores. Tentamos reservar o L’isola e quando falamos que estávamos com um bebê eles dificultaram bastante. Mas são opções maravilhosas para ir com o marido se tiver com quem deixar a criança.

O que fazer:

Visitar as praias e aproveitar a água cristalina é o melhor programa da ilha. O ideial é alugar um carro para desbravar a ilha toda. Mas a maioria das praias não possui estrutura alguma. Então vá equipado com almoço/lanche para todos da família, água, guarda-sol e tudo que você tem direito. O Maya’s To Go é um lugarzinho que ajuda muito na “marmita” da praia, pois vendem comidinhas com essa intenção mesmo. Farofa mais chique impossível!

Além disso, visitar Gustavia, o centro da cidade, no fim do dia para ver o movimento e visitar lojinhas é um dos programas mais gostosos.

Como chegar:

Esse é o maior “problema” de St Barth, já que pra chegar lá precisamos pegar 3 voos, no mínimo. Saindo do Brasil, algumas das formas mais práticas é via Miami ou Nova York. De lá pegar o voo até St Marteen e de St Marteen mais um voo de 15min até St Barth. Mas o voo até St Barth é emocionante! A pista do aeroporto é uma das menores do mundo e somente pilotos bem qualificados podem pousar. A companhia Winair é a mais conhecida por fazer esse trajeto.

Outra alternativa de St Marteen até St Barth é pegar o ferry. A empresa Voyager é conhecida por fazer esse percurso, que dura aproximadamente 1h.

Atenção: O avião da Winair é bem pequeno e muitas vezes as malas dos passageiros não cabem no mesmo avião. E não deu outra, justo a mala da Olivia não chegou no nosso voo, que era o último do dia, e veio somente no dia seguinte. Mas eu já sabia dessa possibilidade e estava preparada. Vim equipada com leite, roupas e fraldas extra na mala de mão. Então não foi nenhum problema. Mas esteja preparado, e garanta até roupas e itens básicos para você, caso a mala seja sua e não a do seu filho.

Quando ir:

Durante todo o ano a temperatura é bem agradável. A média é de de 29C no verão e de 26C no inverno. A alta temporada vai de dezembro a abril e a baixa via de junho a outubro. Ouvimos dizer que entre junho e novembro alguns hotéis não abrem. Por isso, entre em contato com os hotéis antes de se planejar. Fomos em Abril, considerado final da alta temporada, e a cidade estava bem tranquila mas com vida! Então achei uma época bem boa. A temperatura cai um levemente durante a noite, mas continua bem agradável.
Dicas:

– Alugue um carro!
 
– Se for de avião, prepare uma mala de mão com tudo o que você precisa, contando que a mala pode não chegar, tanto para você como para seus seus filhos.
 
– Não esqueça o repelente das crianças. A noite os mosquitos atacam!
 
– O passaporte precisa ter validade de pelo menos 6 meses, confira o dos seus filhos com atenção já que o das crianças possuem validade mais curta.
 
– Não nos pediram a carteira da vacina de febre amarela, mas se tiver é sempre válido carregar com a gente.

 

Leia outros posts da Mariana Cassou:

Deserto de Lewa Com Crianças  

Capri com bebê

Alimentação de bebês em viagens internacionais 

Mariana Cassou, mãe da Olivia de 9 meses. Co-fundadora do e-commerce de moda Gallerist. Ama viajar, principalmente para destinos exóticos. É autora do guia "Marrakech", cidade onde se casou, lançado pela editora Pulp em 2014. Desde que virou mãe, leva Olivia em suas viagens pelos quatro cantos do mundo.

Ver meus outros posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *